quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

“Não façam batota na democracia”, pede Manuel Alegre

Manuel Alegre pediu esta quarta-feira para que não se faça “batota” na política, afirmando que, ao conhecer “uma certa sondagem”, teve o mesmo sentimento da noite em que foi anunciada a “pseudo derrota” de Humberto Delgado.

No discurso durante o jantar-comício em Águeda – que contou com a presença do secretário-geral do PS, José Sócrates, e do presidente do PS, Almeida Santos – Manuel Alegre relembrou que o seu combate “é um combate político” e que não insulta os seus “adversários”.
“Mas não gosto de batota na política, não gosto de batota na democracia. E estou neste combate para o travar até ao fim”, garantiu.

O candidato presidencial apoiado pelo PS e pelo Bloco de Esquerda pediu, então, perante uma sala cheia na sua terra natal, que “não façam batota na democracia”.

Eu hoje, ao ler uma certa sondagem, senti dentro de mim um sentimento parecido com aquele que tive - e que mudou a minha vida - no dia e na noite em que anunciaram os resultados da pseudo derrota do General Humberto Delgado”, relembrou.

Alegre voltou a pedir que não seja feita “batota” nem “manipulação” e que nada vencerá a determinação e convicção democrática.

“E também precisamos de um Presidente que não tenha medo de ser escrutinado. E que não adie, porque isso é sinal de arrogância, para depois do dia 23 as respostas às dúvidas e às perguntas que lhe são feitas e deviam ser esclarecidas para bem da República, com clareza e transparência democrática”, condenou.

Publico online

2 comentários:

flor de jasmim disse...

Batota? manipulação? Isso, é o que mais temos, então qual o nome que se pode dar quando se fala das sondagens? isso não é (manipulação). a transparência democratica o nosso Governo não se dá lá muito bem com ela, as relações deles estão muito além.
VIVA MANUEL ALEGRE.

Para ti um beijinho

Teófilo Silva disse...

As sondagens são uma poderosa máquina eleitoral que convence o eleitor a votar no candidato que os donos do país querem ver no governo. E como podem verificar, nunca é eleito o melhor mas sim o político que mais habilidade tem para nos enganar.
VIVA MANUEL ALEGRE.
Um abraço.