quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Amália

6 comentários:

Luís Coelho disse...

Bom dia
Foi com muito gosto que ouvi a Amália.
Este fado é um grito de saudade e de dor bem portuguesa.
Nem os rios, nem os ventos melhoram o fado deste povo curvado cavando a sua sepultura.........

Existe uma esperança maior que nascerá com o Sol da verdade e da justiça.

Ainda acredito..........

flor de jasmim disse...

Grande Senhora
Tal como a letra. Vamos gritar.
Eu continuo a acreditar.

Beijinho

Flor do Liz disse...

Boa tarde,

Fiquei com os olhos rasos de lágrimas, é sempre uma emoção ouvir um poema de Manuel Alegre.

È preciso acreditar, eu acredito, sempre acreditei e, tenho gritado bastante.

Cumprimentos

heretico disse...

emoçao à flor da garganta...

abraços

Pedro Coimbra disse...

A melhor interpretação da "Trova do Vento que Passa", numa opinião muito pessoal, era a de Luís Marinho.

Fê-blue bird disse...

Meu amigo:
Este poema na voz inconfundível da Amália exalta-nos a acreditar, sempre!

Beijinhos