terça-feira, 24 de abril de 2012

Notícias que ensobram a Festa da Liberdade.

Miguel Portas, eurodeputado pelo Bloco de Esquerda, morreu esta terça-feira, aos 53 anos, de cancro no pulmão, em Bruxelas.
Economista, durante vários anos jornalista, foi, ainda antes do 25 de Abril de 1974, militante e depois dirigente da União de Estudantes Comunistas. Já em adulto foi militante do PCP, de onde sai em 1991.
 Miguel Portas integrou então, desde 1989, a Terceira Via, grupo de militantes comunistas que se opunham à direcção e onde pontificavam figuras como Joaquim Pina Moura e Barros Moura. Após o golpe de Estado na União Soviética a 20 de Agosto de 1991, a maioria dos elementos que integravam a Terceira Via rompe e abandona o PCP, entre eles Miguel Portas, em protesto com o apoio que a direcção do partido deu aos golpistas. Neste processo seriam expulsos do PCP figuras como Barros Moura, Raimundo Narciso, Mário Lino, tendo José Luís Judas abandonado o PCP para evitar a expulsão e preservar a CTGP de que era dirigente. VER MAIS

8 comentários:

Graça Sampaio disse...

Mais uma voz que se cala! Lamentável! Um cravo vermelho em sua memória.

acácia rubra disse...

Triste, muito triste!

Beijo

Jorge disse...

Fiquei mais triste. PAZ à sua alma.
Abr
J

Rogério Pereira disse...

"...É que a morte de esquecida. Deixa o mal e leva o bem"

Sem palavras...

O Puma disse...

A minha lágrima sentida

e de camaradagem

por um Homem

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Esgotei as palavras que tinha a dizer sobre o Miguel.
Grande abraço

Janita disse...

Fui apanhada de surpresa e sinto-me triste, muito triste.
Perdeu-se um cidadão e um político de grande valor.
Um abraço, Rodrigo.

Janita

Pedro Coimbra disse...

Como sempre, acordei e liguei o rádio na casa de banho.
7.30, resumo das notícias às 8 e tomo conhecimento do passamento do Miguel Portas.
Não partilho as ideias políticas dele.
Mas admirava-o imenso.
Porque era um tipo inteligente, culto, corajoso, frontal, educado, de convicções fortes.
E, dessa estirpe, independentemente do quadrante político em que se situem, já não há muitos.
Que repouse em paz!!