sexta-feira, 20 de abril de 2012

Até apetece perguntar...que m....é esta?

ASAE proíbe campanha da Maçã de Alcobaça apoiada pelo Estado

A ASAE apreendeu as embalagens da gama infantil da Maçã de Alcobaça, alegando que as alusões de saúde usadas não se encontram "autorizadas formalmente". A associação de produtores classifica a acção como "punitiva e demolidora", lembrando que a imagem promocional desta fruta, definida em 2004, foi aprovada pelo Estado português e pela Comissão Europeia, sendo financiada com verbas públicas. VER MAIS

À posterior: Muitas vezes não vamos à origem da notícia que leva à verdadeira razão de ser do post. Neste caso acho que vale a pena ler. Só assim dá para perceber.

12 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Rodrigo,
É necessário uma autoridade de segurança alimentar em qualquer parte do Mundo.
Mas, na Europa, Portugal incluído (ASAE), já não é de segurança alimentar que se fala.
É fundamentalismo!!!
Aquele abraço e bfds

acácia rubra disse...

Acho que se estão a gastar as palavras, usando-as para fins pouco honestos. A ASAE tem de justificar o que recebe e a sua existência.
Cá por mim faço boicote sistemático aos produtos importados. Demoro mais nas compras ( que detesto fazer) mas leio em todos os produtos o rótulo de origem.

Temos de começar é a comer as maçãs de Alcobaça, apanhando-as da árvore e acabar de vez com estes parasitas.

Beijo

Helena Fernandes disse...

Pois é... Acho que tudo o que é criado, em Portugal, com boas intenções, acaba por se tornar em mais um lobbyzinho burocrático da treta que só serve para empatar mais a vida e a economia portuguesa. Haja paciência! Conheço cada história da ASAE de bradar aos céus!

Observador disse...

ASAE?

Quem torto nasce...

Abraço

L.O.L. disse...

E quem é que controla os controles da ASAE?

Isa GT disse...

Sejam ASAE ou os Reguladores que foram os próprios a afirmar que o gás tinha que aumentar porque o consumo diminuiu... estamos num país em queda livre, entregues a uma m.... de gente.
Isto é revoltante...

Bjos

Rogério Pereira disse...

Os burocratas de Bruxelas
necessitam dos burocratas
criados nos países-membro
para se afirmarem.

A ASAE, contrariamente à Inspecção Geral do Trabalho, tem "bons" efectivos, tem os quadros preenchidos e os vencimentos são mais atractivos...

Rogério Pereira disse...

Ah, outra coisa... não percebo porquê esta história se fica por noticia na imprensa regional...

mfc disse...

Quem é que põe estes tipos da linha de uma vez por todas?!
Irra, que já chateia!!!

Lua Nova disse...

Sou brasileira, não conheço a ASAE, mas não me faltam situações muito parecidas por aqui que me fazem entender os comentários e a reportagem exibida.
Há coisas que se criam pelos governos para "resolver" problemas (raras)... há outras que se criam para "complicar" mais os problemas e há outras que se criam e são o "próprio" problema.
Enfim, essas coisas não mudam nunca. Não são, infelizmente, ocorrências pontuais. Estão em toda parte, em todas as instâncias de governos sejam quais forem.
Um prazer conhecer e visitar teu blog. Temos amigos em comum e sempre admiro seus comentários. Espero que me honre com uma visita sua no meu Chocolate.
Beijokas e meu carinho

Luís Coelho disse...

Os senhores da autoridade...zás e fecha-se a porta porque estava apenas suja de riscos...ou as coisas estavam no limite de validade...
...então já se podem dar aos pobres. Já não fazem mal....

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A ASAE pode ser alvo de críticas,mas neste caso creio ter-se limitado a agir em conformidade com a legislação nacional e europeia sobre alegações de saúde de produtos e alimentos, Rodrigo.
O que me parece errado - mas vou aprofundar a informação- é o Estado ter apoiado uma campanha com base nesses pressupostos.
Quanto ao rsto, é óbvio que apoio a divulgação e publicidade aos produtos ancionais.
Abraço