quinta-feira, 19 de abril de 2012

José Saramago fala do velho do restelo ao astronauta

José Saramago
Fala do velho do Restelo ao astronauta


Aqui, na Terra, a fome continua,
A miséria, o luto, e outra vez a fome.

Acendemos cigarros em fogos de napalme
E dizemos amor sem saber o que seja.
Mas fizemos de ti a prova da riqueza,
E também da pobreza, e da fome outra vez.
E pusemos em ti sei lá bem que desejo
De mais alto que nós, e melhor e mais puro.

No jornal, de olhos tensos, soletramos
As vertigens do espaço e maravilhas:
Oceanos salgados que circundam
Ilhas mortas de sede, onde não chove.

Mas o mundo, astronauta, é boa mesa
Onde come, brincando, só a fome,
Só a fome, astronauta, só a fome,
E são brinquedos as bombas de napalme.

4 comentários:

acácia rubra disse...

Até quando? ATÉ QUANDO?

Beijo

Everson Russo disse...

Infelizmente cenas que nuncas se acabam minha amiga,,,grande beijo de boa noite e obrigado pela sua visita,,,volte sempre...

Rogério Pereira disse...

Quando lancei minha homilias, há quase dois anos, houve muita gente que disse ir ser, como eu, apóstolo.
Foram ficando pelo caminho...
Por isso leio-lhe isto com carinho
As palavras necessárias precisam de seguidores. Mesmo que não se limitem a Saramago...

Precisamos de liturgias de valores...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não conhecia... Obrigado pela partilha
Abraço