segunda-feira, 29 de agosto de 2011

A Praia da minha Vida. S. Pedro de Moel

Um dos meus Bloggers de referência, Carlos Barbosa de Oliveira, alimenta um Blogue multifacetado, onde trata com mestría os mais variados temas da actualidade mas não só.   "Crónicas do Rochedo".
Numa iniciativa adequada ao período de férias, lançou um desafio. Com o objectivo de levar os seus leitores a escrever sobre "as praias das suas vidas".
Poucos dias antes de o Carlos lançar o desafio tinha escrito um post sobre as minhas memórias de infância, post este com que participei.
Ontem ofereceu aos participantes a foto acima reproduzida. Aceitei-a com gosto. No entanto apoderou-se de mim uma profunda tristeza porque a Praia da minha vida, fruto da incúria dos homens já quase não está lá!
Para além da eminente derrocada das belas e emblemáticas Arribas, tambem a areia práticamente desapareceu. Será que um dia a "minha Praia" voltará a ser a mesma?                              Antes (foto retirada do Google)                              Agora (Foto retirada do Jornal da Marinha Grande)

11 comentários:

Ferreira, M.S. disse...

Olá Folha Seca,
Eu gostava de acreditar que sim. A praia de S. Pedro é insubstituível e isto que aconteceu e continua a acontecer é um crime sem perdão...
Um abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Obrigado pelas suas amávesi palavras, Rodrigo. Foi para mim uma honra ter contado com a sua participação.
Quanto ao regresso da sua praia, lamento, mas tenho muitas dúvidas...
Para além da erosão natural, a mão do homem está a acelerar a destruição da orla marítima portuguesa. A ganãncia - que inicialmente se circunscreveu ao Algarve- alastrou a todo o país, com o beneplácito das autarquias, na generalidade permissivas nas licenças de construção, pois isso significava receber receitas. Claro que não são as únicas razões para a degradação da costa, mas seria estultícia da minha parte ocupar mais espaço na sua caixa de comentários.
Bem haja. Abraço

acácia rubra disse...

Não quero desmoralizá-lo... mas guarde na memória a praia da sua vida. É a única coisa que pode fazer.

Quando vínhamos ao Puto de férias ou cá estava mais tempo e os meus Pais não estavam, íamos para a Figueira. Foi a praia dos meus Avós, a dos meus Pais ( foi lá que se conheceram). Ficávamos na segunda fila de barracas em frente ao relógio porque sempre assim fora. Agora quase parecemos uns camelos até chegarmos ao mar.

Mas, de modo nenhum, a Figueira é a praia da minha vida. Tive outras.

Beijo

Flor do Liz disse...

Fiquei sem palavras...
A praia da minha vida é, a da Vieira e, a continuarmos assim, qualquer dia destes, fico, igualmente, sem palavras.

Antônio Lídio Gomes disse...

Meu amigo, a praia da minha vida foi em Peruíbe, São Paulo.
E também tornou-se alvo dos especuladores e das construtoras que estão enterrando na areia movediça da ganância, toda uma beleza virgem e natural que prevalecia há alguns anos atrás.
Um abraço fraterno.

carol disse...

Muito bom gosto! . Pedro de Moel é das praias mais bonitas de Portugal. Realmente está a ficar sem areia, mas continua bela como sempre.

Beijinhos salgados

Evanir disse...

Que a nossa amizade seja sempre verdadeira até o fim.
Quero que saiba tenho prazer em conviver com você
essa amizade linda.
Eu sei que verdadeiros amigos são fieis e nos protegem,
quando estamos sofrendo.
Mesmo sofrendo,continuo semeando
sempre boas sementes.
Quero ser uma primavera eterna no seu coração.
Deus tem benção para você.
Bjs no coração.
Evanir

Pedro Coimbra disse...

Rodrigo,
Já me avisaram, na sequência de post semelhante, que vou apanhar uma desilusão quando voltar à praia da minha vida.
É uma pena.
Um abraço

folha seca disse...

Apesar de poder levar bastante tempo a corrigir esta situação pode ter retorno. Basta corrigir aquilo que o homem fez de errado.
A Acácia Rubra levantou a questão.
A construção de um esporão na Figueira da Foz sem se prever qual seria o efeito nas praias a Sul, fez com que a areia lá fosse ficando, tornando a Praia da Figueira da Foz num extenso deserto.
Onde o Homem mexe estraga. A natureza não se compadece com a "burrice" ou "Camelice".
Se alguem quiser apronfundar o assunto tenho em PDF um jornal local que contém uma entrevista com um perito na matéria que enviarei a quem manifestar interesse para o meu Mail.

Carlota Pires Dacosta disse...

Para onde foi a areia???
A 1ª foto tem umas cores lindíssimas. É daquelas fotos que faz sonhar.

Beijo

folha seca disse...

Carlota
A areia que ali falta, fica na Figueira da Foz.
Como escreveu a Acácia Rubra para se ir ao Mar parecem uns Camelos. Eu diria. Lá na Figueira seria um bom negócio alugar Camelos... coisa há para aí em abundância.
Abraço