terça-feira, 23 de agosto de 2011

Como um sonho acordado


No momento em que morrem, homens mulheres e crianças inocentes, numa guerra a que só a estupidez dos homens e interesses "duvidosos" pode fomentar, ocorreu-me como forma de aliviar a angustia sentida, ouvir esta obra prima originalmente cantada pelo Fausto Bordalo Dias e aqui recriada magnificamente pelos 3 cantos. Fica a partillha.

14 comentários:

Carlota Pires Dacosta disse...

Um sonho, um pesadelo!!
Por momentos o nosso ser precisa de um sinal de calma, de paz. Mesmo sabendo que há quem sofra e que isso nos perturbe, mas nada podemos fazer.
Ficar a lamentar, não vale a pena, só nos deixa mais angustiados.

Gostei da música.

beijo

acácia rubra disse...

Não conhecia. Muito forte!

Beijo

folha seca disse...

Carlota
Sou duma geração que fez muitas asneiras. Mas queria a paz e lutava por ela. Lembro-me quando as bombas de Napalm caíam sobre o Vietname isso não nos era indiferente. habituei-me a lutar contra a guerra quando apenas indirectamente ela me atingia. Safei-me à justa de nela ter que ir combater.
Não consigo ser indiferente à carnificina que hoje, neste exacto momento está a acontecer na Libia, como não o fui no Iraque e infelizmente em tantos outros sítios.
Abraço

folha seca disse...

Cara Acácia Rubra
Ouvi durante muito tempo esta canção sem perceber o verdadeiro significado e a estória que contava.
Um dia o meu querido amigo Osvaldo Castro nos primeiros tempos do seu "A Carta a Garcia" publicou-a nesta versão. Quis fazer um comentário.
Fiz uma pesquisa e aí percebi. Vale a pena conhecer a razão da letra. "Forte" mesmo muito Forte
Abraço (tambem forte)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como diz a Carlota, isto está a ser mais um pesadelo, Rodrigo... mas a música é fantástica.
Obrigado pela partilha

Teófilo Silva disse...

Seja qual for a forma que queiram justificar uma guerra, não é possível fazê-lo, porque não tem justificação possível. A guerra apenas serve o interesse dos covardes. A guerra é a causa da destruição do próprio homem. Conduz à fome às doenças e ao fim da vida neste planeta. O homem está prestes a terminar uma enorme sepultura onde brevemente se irá enterrar.

Também não conhecia esta música.
Obrigado por a compartilhar connosco.

Um abraço

Rogério Pereira disse...

A canção
oiço-a sempre que a tenho à mão

Quanto ao que fomenta a guerra eu acho que há motivações diferentes das que diz: trata-se de ganancia planeada face à escassez de petróleo. A estupidez dos homens só ajuda.

Amaanhã farei um post sobre o tema

folha seca disse...

Carlos Barbosa de Oliveira

Um pesadelo é um sonho mau. O problema é que os sonhos maus mantêm-se mesmo quando estamos acordados. Daí a escolha da canção que conta uma estória que faz parte da nossa história.

Teófilo Silva

Inteiramente de acordo consigo. O homem está a destruir isto tudo.

Rogério Pereira

Quando escrevi "duvidosos" queria dizer isso, mas não só, a industria de armamento só sobrevive com guerras e o seu poderio é gigantesco.
Ouvi que só o primeiro bombardeamento custou 60.000 milhões de dólares. Imaginemos o custo total. Não sei quanto custaria irradicar a fome e carências básicas de parte da população mundial. Mas quanto não é desperdiçado desta maneira. Isto digo eu, porque os senhores da guerra não têm essa opinião.

Abraços

Antônio Lídio Gomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
folha seca disse...

Caro Antônio Lidio Gomes
Agradeço a tua visita e fico sensibilizado com o poema que me deixaste.
Em tempos em que não encontramos respostas para muitas das nossas angústias, os poetas com a sua arte de colocar as palavras como só eles sabem acabam por nos dar algumas das pistas que necessitamos.
Cumprimentos

Antônio Lídio Gomes disse...

Meu distinto amigo,
HOUVE UMA FALHA AQUI NO SISTEMA E PRECISEI DELETAR O COMENTÁRIO ANTERIOR, POR ISSO VOLTO A POSTÁ-LO NOVAMENTE. DESCULPE-ME A FALHA.
Compartilho contigo toda essa angústia que ora sentimos.
Portanto é algo que nos une.
Gostaria de deixar algo alegre, mas para ilustrar o que sinto por aqui, deixo esses versos.
Um fraterno e afetuoso abraço.

Sociedade Anônima do Brasil

Este poema foi feito por...
-Uma Sociedade Anônima!
Nas calçadas onde gente endividada
Com rostos e caras de semblantes rotos
Sofríveis, feios, maltratados.
Misturando-se ao clamor de um futuro...
Esperam esperançosos.
Rostos tristes, famintos, roubados...
Há miseráveis, perto de um Shopping,
Longe da Glória!
Disputam por um espaço!
Querem um Brazil,
(Aquele outro Brasil com Z)
Um Eldorado...
Estão perto de Deus, e perto do nada,
Povo...
Sem identidade,
Angustiado, quieto, calado.
Lá vem chuva...
Lá vem tempestade...
Lá vem presságio;
Lá vêm lágrimas...
Lá vêm dívidas, dúvidas...
Lá vêm promessas;
Lá vêm os deuses das figurinhas carimbadas...

heretico disse...

excelente, grato pela partilha

abraço

Pedro Coimbra disse...

Não conhecia.
E gostei.
Muito!!

claudiaymarques disse...

Bom dia tudo bem? ví seu blog no cantinho da Flor de Jasmim e achei bacana,interessante e me indentifiquei com muitas coisas aqui que você colocou..Apesar do meu blog ser um tanto enfeitado,cheio de coisinhas e tal..rss..abordo alguns assuntos polêmicos,como postei esses dias sobre o excesso do consumo incentivado pela Midia e encontrei aqui no seu espaço assuntos bacanas e gosto disso..
Bela cançao..forte ..
abraço...apareça para tomar um café comigo
titi