domingo, 28 de agosto de 2011

“Os ricos que paguem a crise”. Era o que mais faltava!

Creio ficar no anedotário político financeiro do País um dos principais motivos de discussão “estéril” da semana que hoje termina.

Como bons seguidores do que lá por fora se faz, bastou que um americano e um Francês se dispusessem a aceitar pagar impostos sobre as suas fortunas, para que à pala disso se voltasse a discutir como fazer com que os ricos, por terras Lusas fossem obrigados a pagar também a sua parte da grave crise existente.

Por aqui até houve um dos chamados ricos (que deixou no ultimo campeonato de fazer parte dos ( principais 17 suponho) que logo se pôs a jeito para também dar o seu contributo.

Há coisas de que me rio embora a vontade seja a de chorar. Chamei-lhe anedota porque se eu fosse rico (coisa que infelizmente não sou) se tivesse um vasto património (coisa que também não tenho) umas contas caladas em off shores (coisa que também não) uns milhões aplicados em fundos e acções de empresas lucrativas (coisa que idem… idem). Rapidamente, se sobre isso fosse colectado, passaria de mãos à velocidade de um relâmpago. Tretas!

Um conhecido “trabalhador” que apostou umas economias na principal petrolífera Nacional (entre outros pequenos investimentos) que lhe têm dado uns trocos, achou que não devia participar nessa tal colecta, que não passou de uma hipótese. Antes pelo contrário, vejamos. Um tal de Irene que se abateu sobre a costa de um dos Estados Unidos que provocou vários mortos uns tantos feridos e alguma devastação que no momento parece que o pior já passou, não deixou de ser argumento para que as consequências por aqui se façam sentir com o já decidido aumento dos combustíveis na semana que vai começar.

Pronto. O tal "trabalhador" apenas vai ganhar mais uns trocos que não devem ser tributados. Claro!

6 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Cheira-me que o Coelho, com o apoio do Seguro, vai tirar mais um número de magia da sua cartola, para que quem trabalha acredite que os ricos também pagam a crise.Puro ilusionismo...
Tem uma lembrancinha lá no CR

Rogério Pereira disse...

O titulo que dei a um post passado (que até saiu com gralha, dizia: "Os ricos que paguem PELA crise" e no texto "acabe-se com o sistema que produz o enriquecimento": Mantenho, sem mais conseguir acrescentar (os acréscimos são detalhes do sistema)

Luís Coelho disse...

Oi amigo
Agradeço esta anedota ao acordar.
...eles lembram-se de cada coisa...Santo Afonso...

Parece-me que existem figuras de estado que ficariam melhor caladas pois apenas vem fazer provas de circo

Porque não prescindem todos eles da totalidade do subsídio de Natal e Férias...???

Roubar a quem tem pouco é mais prático...e cómodo...
«estão mexendo no meu bolso...»

Pedro Coimbra disse...

O Américo é um trabalhador dedicado, Rodrigo.
E um humorista excepcional.
A gente é que não sabia disso.
Um abraço

Teófilo Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Teófilo Silva disse...

Os que vivem na grandeza
Dizem vendo alguém subir
Há que manter a pobreza
Para a grandeza não cair.

Bem, não vale a pena chorar. Ou talvez valha a pena, pois há quem diga que chorar alivia a tensão e o stress. O mal que aflige o mundo não é só político. Neste post falou-se no que aconteceu recentemente nos Estados Unidos e todos atribuem esta calamidade a uma evolução normal do planeta! O problema é muito mais grave e vai-se agravar ainda muito mais. O mundo vai tornar-se um lugar pouco recomendado aos E.T. que resolvam visitar ou habitar o nosso planeta.
Tal como o homem aceita como normal todas as calamidades, também vai aceitar como normal todas as sacanices que os políticos lhes vão impor.
E lembrando esta frase dita a brincar: Ora o Povo Ora O Povinho em Lhe Dando Pão e Vinho, Logo ele se Contentou!

Um abraço