terça-feira, 9 de agosto de 2011

Katia Guerreiro - Poema da Malta das Naus- António Gedeão


4 comentários:

Rogério Pereira disse...

Com a mão esquerda benzi-me,
com a direita esganei.
Mil vezes no chão, bati-me,
outras mil me levantei.

(este poema tb foi escrito para mim)

folha seca disse...

Rogério
"não é impunemente que se nasce nas praias de Portugal"

Pedro Coimbra disse...

A médica fadista.
Uma grande voz.
Um abraço

folha seca disse...

Pedro
Não sabia que era Médica, concordo que é uma excelente voz. Curiosamente há uma geração de novos fadistas que acabaram por fazer renascer o Fado. Por isso é candidato a património imaterial da humanidade.
Já agora digo-lhe que este poema é cantado há muito pelo Manuel Freire e a ideia era publicá-lo, mas nã está disponível.
Mas acabou por ficar bem entregue.
Abraço