sábado, 6 de agosto de 2011

Para que a humanidade não esqueça

Rosa de Hiroshima

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas

Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas

Mas oh não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida

A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada
Vinícius de Moraes

4 comentários:

Lua Nova disse...

Uma lembrança importante e imensamente triste. E, Rosa de Hiroshima, essa música linda com uma letra tão eloquente, é perfeita para nos falar do que não deve nunca mais acontecer.
Foi vergonhoso e absolutamente desumano.
Dia 6 e dia 9 de agosto... realmente não podem ser esquecidos.

Ana Paula Fitas disse...

Caro Rodrigo :)
... confesso que ainda não vira o seu post quando, há pouco, postei, sob o título "Do Nuclear aos Objectivos do Milénio", um texto ilustrado pelo tema cuja letra aqui partilha, cantado pelos "Secos e Molhados"... congratulo-me, sinceramente!, com a sintonia... e o poema!
Um abraço.

L.O.L. disse...

Caro amigo. É preciso relembrar estes factos para que não caiam realmente no esquecimento. Maldito esquecimento.

Novo desafio musical no meu blog:

http://ocantinhodomestre.blogspot.com/2011/08/desafio-musical-n-8.html

Um bom Domingo.

carol disse...

Muito forte este poema e como contrasta com a suavidade da música e da voz do saudoso Vinícios.