segunda-feira, 21 de maio de 2012

Desculpem! Mas hoje preciso de rir...

9 comentários:

L.O.L. disse...

Ainda dei duas boas gargalhadas. Tanto fogo para um homem só. lolololol:)

Fê-blue bird disse...

E era o pai dele liberal :))
Como tenho saudades destes momentos únicos.Porque será que já nada nos faz rir assim?
Só o Raul Solnado me fazia rir hoje. Obrigada meu amigo por este momento.

beijinhos

Rogério Pereira disse...

Hoje multiplicam-se os momentos de humor. Há programas sobre as mil e uma maneiras de fazer rir. Há-os para todos os gostos e até há os que nada tem a ver com humor, mas com cocegas mal amanhadas recorrendo ao grosseiro preceito e às mais torpes piadas. Há humoristas que já o foram e se deixaram abandalhar, baixando ao nível da grosseira anedota o que antes fora promissor humor. Como povo, temos piada. Não, não me refiro ao ridículo em que algumas pessoas sérias acabam por contribuir para o anedotário nacional.

Temos um humor muito próprio como povo. Não há que duvidar...
Raul Solnado aí está para o comprovar.

Ria, meu amigo. Ria com gosto.
O riso ainda não paga imposto!!!

Janita disse...

Rodrigo:
Já somos dois! E que bem me souberam estas boas gargalhadas...
Hoje, o humor faz-se noutros moldes, mas nada como o bom humor dos velhos tempos do grande Raul Solnado.
Obrigada por estes minutos de descontração.

Um beijo.

Janita

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ainda bem que teve essa vontade, porque assim pude recordar o Solnado e rir também um bom bocado.
É verdade que com as cenas do Relvas também me tenho rido bastante nos últimos dias, mas esses são mais risos de raiva
Abraço

Francisco Clamote disse...

Não há dúvida, Rodrigo, que há alturas em que só o riso nos salva. Esta é uma delas. Abraço.

quem és, que fazes aqui? disse...

Este é o tipo de humor de que gosto!

Ri como rio sempre com as peças do Solnado.

Infelizmente, por este país o humor, hoje, é negro e pouco plurissignificativo.

Beijo

Laura

Pedro Coimbra disse...

Rodrigo,
Teno este, e muitos outros, discos do Solnado em minha casa aí em Portugal.
Habituei-me a ouvi-lo e a admirá-lo desde menino.
De vez em quando, também faço, e a Rádio Macau idem, umas visitas ao Raul.
Aquele abraço

São disse...

Foi bom recordar Solnado , rrsss


Que Vida Tão Estranha também já coloquei lá em casa, porque josto muito dele.

Um abraço, caro Rodrigo