sábado, 19 de maio de 2012

Barregues ou não barregues…

Quem me contou esta estória garante que é verdadeira, portanto vendo-a ao mesmo preço.
 Algures numa terrinha aqui perto um pequeno agricultor tinha uma Cabra (a que deu o nome de Môcha) todos os dias tirava o leite necessário para as necessidades da casa. Era auto-suficiente em leite e queijo.

Um dia a cabra já idosa acabou por morrer.

Imediatamente tratou de a substituir. Procurou nas imediações, uma substituta e lá comprou uma Cabra em idade de rapidamente substituir a anterior nas necessidades lacticinosas lá de casa.
Habituado a todos os dias mugir duas vezes  a Cabra anterior, tentou instituir a mesma rotina .
Mas nada! Bem apertava a presumível teta do animal. Nada nem um pingo. A única coisa que conseguia obter eram uns lancinantes barregos do animal ao que respondia já desesperado: Barregues ou não barregues hás-de dar tanto como a Môcha!

Um vizinho já cansado de ouvir o animal barregar tanto, aproximou-se do curral onde o agricultor andava há vários dias ingloriamente a tentar obter o precioso líquido, perguntando o que é que se passava. O Homem lá contou a estória, a Cabra velha morreu, comprou uma nova e a dita não se dispunha a dar leite.
O vizinho olhou, deu uma espreitadela e rematou. Ó vizinho! Você a apertar os tomates ao bicho dessa maneira ainda mata o animal.

Conclusão: É preciso saber onde espremer!

7 comentários:

quem és, que fazes aqui? disse...

Estou a RIR!

Beijo

Laura

Ferreira, M.S. disse...

Excelente!
Bom fim-de-semana, caro Folha Seca!

Um abraço

Fê-blue bird disse...

Coitado não tinha dinheiro para o oftalmologista :))
ADOREI :))

beijinhos

Fê-blue bird disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rogério Pereira disse...

Acho que a Merkel é bode...

Francisco Clamote disse...

Tem graça, sim senhor. Abraço, Rodrigo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Gostei!
Abraço