domingo, 18 de março de 2012

O caminho encontra-se sempre, mesmo que dê algumas voltas...

Foto tirada no local, hoje cerca das 11 horas
Hoje de manhã, como fazemos com alguma regularidade, fomos ver o mar (pudera estamos a muita pouca distância) e como o combustível hoje é mais barato do que amanhã lá fomos dar a volta, que por aqui se convencionou chamar “a volta dos tesos”

Enquanto saboreava-mos um café mesmo ali à beirinha do ribeiro de S.Pedro que desagua sempre em sítio incerto como o José Mário Branco diz na sua obra “FMI” é como o rio de S. Pedro de Moel que se some nas areias em plena praia, ali a 10 metros do mar em maré cheia e nunca consegue desaguar de maneira que se possa dizer: porra, finalmente o rio desaguou! “
Fizemos uma analogia com a situação actual do nosso País. De facto aquele ribeiro corre para o mar e de uma forma ou outra ele vai lá desaguar, chega a correr a praia toda (chama-se  Praia Velha) chega a transformar-se num grande lago, mas há uma altura que encontra o seu próprio caminho e lá vai parar ao sítio certo, que é o mar. Nada contraria as forças da natureza ao ponto de impedir que o destino de uma dessas forças não acabe por encontrar o seu caminho, apesar das voltas que às vezes tem de dar.

Tal Como o Ribeiro de S. Pedro encontra o caminho para o seu destino, quando está "cheio" também nós encontraremos esse mesmo caminho, enganem-se os que pensam que ele está préviamente traçado  e "alinhado".

9 comentários:

A.Tapadinhas disse...

Bela analogia para os mais incautos...

...O caminho faz-se caminhando....

Abraço,
António

Rogério Pereira disse...

Temos que alvoraçar as margens, o rio está correndo pachorrento, lento e quase sem ânimo por lhe faltarem outras águas, além das que nos escorrem das mágoas...
Temos de alvoraçar as margens

Rogério Pereira disse...

A fotografia é tão bela que estive tentado em substituir a do meu cabeçalho, que só lhe ganha por ter as três sombras de mim...

Isa GT disse...

Mas para encontrar o caminho, também é preciso vontade e, uma grande maioria, nem sequer acredita que há caminho...

Bjos

Luciano disse...

São precisas mais iniciativas e força de vontade para contrariar os caminhos que nos querem impôr!

O Puma disse...

Gostei dessa ribeira
a caminhar pelos seus próprios pés
sem deixar de ser memórias e amanhãs
Abraço

Pedro Coimbra disse...

Comentar o quê, Rodrigo?
Totalmente de acordo!!
Aquele abraço e votos de uma boa semana

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O meu amigo agora aos domingos recorda-me praias onde já fui feliz e isso é muito bom!
Por cá costuma-se chamar aos passeios de domingo por certos itinerários "obrigatórios" o passeio dos tristes. Sempre me encanitou essa expressão. Se é passeio dos tristes, para que é que as pessoas o vão fazer?
Abraço

Graça Sampaio disse...

Espero bem que sim! Que consigamos encontrar o nosso caminho...

Belas banhocas tomaram as minhas filhas nesse riozinho na Praia Velha! E que belo ensopado de enguias se comia lá no Pai dos Frangos...

Que "o rio encontre o caminho para o mar"!