sexta-feira, 30 de março de 2012

E lá vai outro...

Um dia numa pequena casa abarracada ali junto do cemitério da Marinha Grande, construída como mais umas tantas, clandestinamente em terrenos camarários, nasci. Fez hoje 57 anos.

Nesses tempos nascia-se em casa com a ajuda de curiosas a que chamavam parteiras. Dado que parece que vinha assim um bocado para o estrampalhado, foi necessário chamar o Dr. Coelho dos Santos, aquele grande homem que estava sempre pronto para socorrer o próximo sem que levasse um tostão quando se tratava de pessoas de fracas posses. Ao tentar escrever qualquer coisa, lembrar-me desta Homem é incontornável, não porque recorde esse acontecimento como é evidente, mas muitos outros pela vida fora. Sobretudo o facto de esta minha terra não ter sido capaz de dizer um obrigado ainda em vida a este homem a quem tanto devemos, no meu caso parece que a própria vida. Pronto esta conversa para dizer que ainda por aqui ando “com a cabeça entre as orelhas” e espero aguentar ainda mais uns tempos.

Talvez o dia do nosso aniversário devesse ser decretado como o dia em que deveríamos fazer o balanço do último ano. De certo modo fazemos, embora não seja fácil colocá-lo num post.

Como a vida de qualquer um de nós é influenciada pelo que se passa à sua volta, há um balanço incontornável que tenho que fazer em relação a este ultimo ano de vida. Estou mais pobre, mais triste, mais desiludido, mas também mais convencido que os sonhos só se realizam se lutarmos por eles. Estou mais velho mas consciente que não é tempo ainda de calçar as pantufas. Sou duma geração que vibrou com Abril. Dei o meu modesto contributo para consolidar a Democracia então conquistada. Não vou ficar quieto e calado vendo que a mesma está a ser destruída. Não vou ficar quieto e calado vendo cada vez mais portugueses a não terem os mais elementares meios de sobrevivência e  respeito pela sua dignidade.

26 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Por aqui em dia de aniversário, Rodrigo?
Aquele abraço e votos de um dia de aniversário cheio de coisas boas.
Amêndoas e não só!!!

(Um dia especial para mim também - 14º aniversário da minha filha, Catarina)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Muitos parabéns, Rodrigo!
Que tenha um belo dia ( apesar da chuva...) e, especialmente, os 57 fiquem bem gravados na sua memória, por terem sido um ano muito bom. E claro que não vai ficar calado. Já lutámos contra adversidades bem piores, não é verdade? Eu sei que éramos mais jovens, mas não é a idade que nos esmorece.
Sabe uma coisa? Fui colega na Faculdade do filho do dr. Coelho dos Santos. Era um tipo pândego e muito bem humorado.
Aquele abraço

folha seca disse...

Caro Pedro Coimbra
Já lhe respondi e a esta hora já deve ser a de jantar em Macau, que tudo corra bem.

Caro Carlos Barbosa de Oliveira
Não consigo identificar o filho do Dr. Coelho dos Santos que refere. Teve uns tantos, um dos que com lidei não foi à faculdade, tal como eu que eu nem sequer me aproximei. Há um que sei que foi para medicina, outro para direito e uma filha que é licenciada (não sei bem em quê) e hoje é a adjunta do Presidente da Câmara da M.Grande.
Esta terra que hoje é Cidade teve 3 médicos que a marcaram. Um deles foi o referido. Ainda estava em perfeito estado de lucidez quando tentei (eu e mais uns tantos) que algo se fizesse. Mas estamos num País em que poucos são devidamente reconhecidos em vida.Dá vontade de dizer... que merda: é preciso morrer para nos dizerem obrigado. Já agora, tive oportunidade de o dizer pessoalmente ao Dr. Coelho dos Santos e ainda, ele lembrava-se de tudo ficando eu a saber pormenores que nunca saberia de outra forma.
Abraço Carlos e um obrigado Muito grande
Rodrigo

Rogério Pereira disse...

Aniversário

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer.

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a.olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

Sim, o que fui de suposto a mim-mesmo,
O que fui de coração e parentesco.
O que fui de serões de meia-província,
O que fui de amarem-me e eu ser menino,
O que fui — ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui...
A que distância!...
(Nem o acho... )
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

O que eu sou hoje é como a umidade no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes...
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um fósforo frio...

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos ...
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo físico da alma de se encontrar ali outra vez,
Por uma viagem metafísica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim...
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

Vejo tudo outra vez com uma nitidez que me cega para o que há aqui...
A mesa posta com mais lugares, com melhores desenhos na loiça, com mais copos,
O aparador com muitas coisas — doces, frutas, o resto na sombra debaixo do alçado,
As tias velhas, os primos diferentes, e tudo era por minha causa,
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos...

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira! ...

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!...

Álvaro de Campos, in "Poemas"
Heterónimo de Fernando Pessoa

Rosa dos Ventos disse...

Três vezes parabéns!
Pelo aniversário, pelo texto e pelo poema escolhido!:-))

Abraço

folha seca disse...

Caro Rogério Pereira
Pela tradição hoje era dia de alguem me oferecer qualquer coisa (material) porque fiz anos. Népias! não fiquei nada preocupado, as palavras que me foram digidas directamente olhos nos olhos e até, lábios nos lábios, foram suficientes para sentir que vale a pena, mantermo-nos por cá.
O Poema que me dedicou em jeito de comentário é a prova disso.
O meu muito obrigado.
Abraço
Rodrigo

folha seca disse...

Cara Rosas dos Ventos
Há uns tempos que nos vamos cruzando por aí. Felismente a bloga, Levámos-mas a "conhecer" gente muito interessante que de outra forma não sería possível.
Muito obrigado por este e outros comentátios.
Abraço
Rodrigo

acácia rubra disse...

Ofereço-lhe um beijo, daqui de longe.

Parabéns, MEU AMIGO! E também para a sua 'Flor'.

Laura

Osvaldo Castro disse...

Caro Rodrigo,

Que contes muitos com saúde e perto dos teus.
Abraço pelo dia, pelo post e pela música.
Tens toda a razão quanto ao dr. Coelho dos Santos.Abraço também por ele.
OC

Fê-blue bird disse...

"Quero eu e a natureza
que a natureza sou eu
e as forças da natureza
nunca ninguém as venceu "

Amigo Rodrigo, o meu abraço apertado de parabéns!
Conte muitos mais com saúde e sempre com a vontade férrea de lutar pelos seus sonhos.
Vamos esmorecendo, vamos sofrendo e remoendo por dentro, mas a nossa geração não se verga sem luta.

Beijinhos da amiga
Fernanda

Carlota Pires Dacosta disse...

Muitos Parabéns!
Por aqui também, pois já ficou outro comentário no facebook, eheheh.
Os sonhos são para lutar por eles, sempre!!
Beijinhos

Vinagrete disse...

Parabens grande amigo.
Apesar de tudo, temos que manter as amarras que nos ligam à terra e às gentes que amamos.
Sabes, também encontrei o Manel, aquele nosso amigo comum, que em tempos idos de grande desesperança, se lançou na aventura de construir a sua própria empresa e a fez subir a pulso, com a ajuda dos seus colaboradores. Senti-lhe a tristeza na voz e percebi a dor que lhe fazia sangrar o coração, por se sentir traído por um Mundo globalizado controlado pelo capital, que faz da economia um casino e despreza profundamente o trabalho.
O sentimento de impotência leva-nos, e a ele também, a pensar deitar a toalha ao chão.
Quem sou eu, para dar conselhos ao nosso amigo Manel, mas não resisti a recomendar-lhe que ouvisse Manuel Freire a cantar a Pedra Filosofal, ao mesmo tempo que terá que ser pragmático e, mesmo que doa e vai doer muito, tomar as medidas de gestão que garantam a sustentabilidade de muitos, mesmo que alguns tenham que ficar pelo caminho.
Um grande abraço Rodrigo.

folha seca disse...

Cara Laura
Obrigado pelos seu beijos que por aqui foram sentidos duplamente.
Retribuo com outro.
Beijinho
Rodrigo

folha seca disse...

Fernanda
Apenas quero agradecer e sublinhar as suas palavras. Não, não nos vergaremos, daremos luta!
Beijinho
Rodrigo

folha seca disse...

Caro Osvaldo
A ti é muito mais difícil responder. Como sabes o sonho de que falo foi muito inspirado por homens como tu que pegaram os "Touros" de caras e fizeram (re)nascer em nós a esperança e neste momento complicado continuam a manter a chama acesa.
Obrigado grande amigo.
Abraço
Rodrigo

folha seca disse...

Caro Vinagrete
Agradeço muito sensibilizado as tuas palavras. Sim há sonhos que podem ser realizados, desde que a vontade dos homens assim queiram. Conheço alguns que realizaste em prol do bem colectivo. Pena que alguns dos mais miseráveis sentimentos de que alguns homens e também mulheres dominados pela mesquinhês e ambição, tenham impedido o devido e merecido reconhecimento. Mas sobretudo te tenham impedido de continuares a dar ao bem comum a tua grande capacidade de concretização.
Sobre o nosso Amigo Manel, vamos ter oportunidade de conversar.
Abraço meu grande amigo.
Rodrigo

Relaxoterapeuta disse...

Quando o tempo te perguntar se ainda tens gosto pela vida, responde-lhe que a vida tem gosto que a parti-lhes connosco. Porque aqui rimos, aqui lambemos o sal das lágrimas, aqui provamos a equação da felicidade – mantendo constantes a ingenuidade do sonho que comanda a vida e a saudável estupidez de quem desafia a morte, verificamos que as variáveis se resumem a meros pormenores.
- E que ordens tem para mim, meu general?
- Levanta-te com o Sol e deita-te com a Lua. Mas nunca o faças, nem um único dia da tua vida, com a consciência inquieta, ou com a dúvida de que não deste o melhor de ti!
- Mas isso é sobre-humano!?…
- Não para quem ama.

Muitos e sãos!
Votos de um amador do mundo, e admirador de gente com alma transparente.

Um abraço, caro Rodrigo.

folha seca disse...

Meu caro
Não imagina a sensação que tive ao vê-lo por aqui, talvez um dia lhe explique.
Um grande abraço e um agradecimento muito especial pelas palavras que me deixou.
Rodrigo

Anónimo disse...

Não precisa de explicar. Por certo pensou que me tinha "perdido". Infelizmente perdemos todos e poucos foram os que deram por isso. Continua a angustiar-me a indiferença a que se votam os homens bons e de carácter.

R.

Maria Estrela Melchior Dinis disse...

Caro amigo
É bom ver que continuas o mesmo. És ainda mt novo. ainda tens mt para dar. A democracia que mts tentam destruir precisa de todos nós.
Gostei do que li
Um abraço

Maria Estrela Melchior Dinis disse...

Caro amigo
É bom ver que continuas o mesmo. És ainda mt novo. ainda tens mt para dar. A democracia que mts tentam destruir precisa de todos nós.
Gostei do que li
Um abraço

Flor do Liz disse...

Estive ausente, os meus parabéns atrasados e que continue como sempre.

Aproveito para enviar um abraço ao Sr Relaxaterapeuta e dizer-lhe, que tenho saudades dos seus excelente textos.

E aproveito para informar que, tanto quanto sei, o Sr Dr Coelho dos Santos tem 2 filhos médicos:
Dr Miguel Coelho (Chefe da Cirurgia do Hospital de Leiria)
Dr Paulo Coelho (Medicina no Trabalho)

Um abraço

Graça Sampaio disse...

Cheguei atrasada mas, diz o povo, «mais vale tarde que nunca». Parabéns! Que conte muitos apesar de se sentir mais triste, mais pobre, mais desiludido (quem o não está?) Também nasci em casa. Sete anos ante de si e em Algés. Também tiveram de chamar o médico porque, costumo dizer, "fui o terceiro aborto da minha mãe" que era uma mulher fisicamente (e apenas fisicamente) frágil.

Ah! E o mais importante: também sou do Carneiro, o melhor signo do Zodíaco...

Beijinhos natalícios.

folha seca disse...

Estrela
Tens razão a Democracia precisa mais do que nunca de todos nós.
Abraço

folha seca disse...

Cara Flor do Liz
Muito obrigado, pelos parabéns,por me acompanhar nas saudades dos textos do Relaxaterapeuta e pelos esclarecimentos sobre os filhos do Dr. Coelho. Penso que o Carlos Barbosa se referia a um outro que seguiu Direito.
Um abraço

folha seca disse...

Cara Graça Sampaio
Obrigado, vem sempre a tempo.
Pelos vistos para além do que já conhecíamos, ainda temos mais umas coisas em comum.
Abraço