terça-feira, 10 de janeiro de 2012

“Todos temos direito a ser um pouco Loucos”.

Um amigo poeta, um dia escreveu uma frase que me tem acompanhado e de vez em quando obriga-me a meditar. A frase era: “todos temos direito a ser um pouco loucos”.

Isto a propósito de algumas notícias que ontem vi e ouvi na televisão, coisa que evito fazer à noite dado o efeito ser pior que o do café que também não bebo para evitar insónias. Mas pronto, não sou capaz por (muito que me apeteça) de enfiar a cabeça na areia e de vez em quando lá vão umas horas de sono pró caraças, nem os ansiolíticos me safam.

Pronto hoje às 7 e pico (não era o baile da Dª Ester) quando estava para sair de casa tinha o carro que é preto, completamente branco olhei à volta e tudo estava também branco da camada de geada que caiu. A torneira mais próxima estava bloqueada com gelo. Lá foi preciso arranjar um balde e ir ao interior de casa arranjar água para pôr no pára-brisas de forma a ter alguma visibilidade e o aquecimento do carro fez o resto.

Tudo isto a propósito do “direito a sermos um pouco loucos”. E se de repente este País sofresse uma congelação global e até lá não se consumisse, não se gastasse dinheiro. Ficasse tudo numa profunda hibernação. Será que lá para 2015 o sol voltaria radioso e acordava-nos, sem défice, sem austeridade sem empresas a fechar diariamente às dezenas e os seus trabalhadores a ir para o desemprego, sem famílias com o mínimo de meios para subsistir, sem crianças a pedir pão onde já não há e a irem pedi-lo às regressadas (em força) instituições de caridade, sem vivermos sob um medo profundo em relação ao nosso futuro, mesmo imediato.

Perdoem-me o partilhar esta dose de loucura convosco. Tenho outras, mas para já sai esta.

7 comentários:

Carlota Pires Dacosta disse...

Já agora hibernar como os ursos, e acordar em 2015 com um sol radioso seria magnífico.
Adorei a ideia, eheheh.
Beijo

Clarisse Silva disse...

Caro folha seca,

Eu costumo usar a máxima que um pouco de loucura só faz bem à saúde.

E não é que a sua ideia é óptima! Ou congelamos ou emigramos todos, e ficam os "coelhos" a governar os coelhos... :-)

Saudações,
Clarisse Silva

Carlos Albuquerque disse...

Caro Rodrigo
Em hibernação andamos todos nós, há já tempo demais. Não por força de qualquer geada mas, tão só, porque na terra que pensamos ser nossa reina, cada vez mais pujante, a cultura do medo...
Já não é só o medo do futuro que tolhe os portugueses. É-o também, e sobretudo, o medo do presente. Sem presente, como haveremos de escrever o futuro?
Precisamos de voltar a ser os que por obras valorosas se vão da lei da morte libertando...
O grito da nossa revolta tem que deixar de ser mudo e quedo. Só a nossa própria voz, e gesto unido, poderão afastar o medo, pondo-lhe fim.
Quantas vezes tenho pensando em algo semelhante à ideia que o Rodrigo aqui expõe...
Mas, pelo que vou vendo e ouvindo, tenho dúvidas que em 2015 consigamos voltar a puxar o sol.
Não vou mais longe. Fico-me pelo mais recente escândalo (EDP/Catroga e afins). As vozes que se têm ouvido e lido, a tentar branqueá-lo!
Grande abraço, Rodrigo

Gisa disse...

Sem a loucura como compreenderíamos a realidade?
Um grande bj

Evanir disse...

É sua amizade que desejo lembrar para sempre e estará sempre em meu coração,
mantendo-nos aquecidos, fortalecidos e segura de que nunca estarei sozinha.
E é assim que eu guardo você
Minha linda Amizade.
E é assim que eu quero guardar...
Como alguém que estará longe, mas sempre lembrará de mim.
Obrigada pelo carinho nesse um ano de Viagem comigo.
Obrigada por estar do meu lado sempre sem notar meus defeitos
me aceitando como sou.
Sei que deixo muito a desejar em responder a sua visita
mais tenho cada amigo e amiga no coração.
Me perdoe por levar uma unica mensagem para visita
infelizmente minhas mãos não ajuda .
Porem me sinto feliz e recompensada por todos entender minha situação.
Na postagem tem uma presente desse dia tão feliz para mim
ficarei feliz em encontra-lo no seu blog.
Obrigada ,Deus esteja com todos nos nessa jornada
que Deus me permita estar contigo por muitos anos ainda.
Beijos e carinhos.
Evanir

Fê-blue bird disse...

Meu amigo senti um frio por mim acima :)
Também tenho ( e ainda bem) estes momentos de loucura, sabem bem e são tão económicos :)


beijinhos e durma bem :D

Pedro Coimbra disse...

Se todas as loucuras fossem como esta, estávamos na maior, Rodrigo.
E bem dispostos :))
Aquele abraço