terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Que há-de ser de nós?

Sergio Godinho Letra - Musica Ivan Lins. CD - coincidências 1983
Cantam os dois

Que há-de ser de nós

Já viajámos de ilhas em ilhas
já mordemos fruta ao relento
repartindo esperanças e mágoas
por tudo o que é vento

Já ansiámos corpos ausentes
como um rio anseia p´la foz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós?

Que há-de ser do mais longo beijo
que nos fez trocar de morada
dissipar-se-á como tudo em nada?

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós

Já avivámos brasas molhadas
no caudal da lágrima vã
e flutuando, a lua nos trouxe
à luz da manhã

Reencontrámos lágrimas e riso
demos tempo ao tempo veloz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós

Que há-de ser da mais longa carta
que se abriu, peito alvoroçado
devolver-se-á: «endereço errado?»

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós

Já enchemos praças e ruas
já invocámos dias mais justos
e as estátuas foram de carne
e de vidro os bustos

Já cantámos tantos presságios
pondo o fogo e a chuva na voz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós?

Que há-de ser da longa batalha
que nos fez partir à aventura?
que será, que foi
quanto é, quanto dura?

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós

11 comentários:

acácia rubra disse...

Não conhecia, mas gostei da letra e do duo e do todo.

Beijo

João da Nova disse...

Gosto muito de ouvir Sérgio Godinho, um dos grandes compositores portugueses, letras de “força”, com sentimento e sentido.

Rogério Pereira disse...

A dupla é luso-brasileira, e a lusofonia há-de ter destino... repito o refrão, porque é lindo e é muito certo e é a afirmação da esperança:

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós

Janita disse...

Rodrigo.
Essa é a pergunta que, casa vez mais, colocamos a nós próprios!

Duas vozes bem conhecidas, unidas numa canção cuja letra é a reflexão sobre a dúvida de sempre .

Já fizemos tanto e tão pouco
( nada resultou)
que há-de ser de nós?

Um beijo.

Carlota Pires Dacosta disse...

De que nos serviu todos os grande feitos do passado???
beijo

Rosa dos Ventos disse...

Todos nos interrogamos mas não desta forma tão poética e musicada!

Abraço

Observador disse...

Magnífico trabalho de Sérgio Godinho e Ivan Lins.

Abraço

Fernando Gonçalves disse...

http://www.blogger.com/profile/08153296854254810796

Fê-blue bird disse...

Meu amigo esta pergunta faço-a todos os dias, e não encontro resposta.
Não conhecia este tema, foi um prazer ouvi-lo.

beijinhos

Pedro Coimbra disse...

Maravilha, Rodrigo, maravilha.
Adivinhe o que é que eu publiquei hoje? :)))
Aquele abraço

Graça Sampaio disse...

Mais uma das excelentes criações do meu querido e muito apreciado Sérgio Godinho!