quinta-feira, 3 de novembro de 2011

O Charlatão


Neste fim de tarde bastante chuvosa, dediquei algum tempo a tentar perceber qual a evolução da situação Europeia. Aquilo que ontem era dado como certo, hoje já não é e vice versa. Aprendi que a "política era a arte do impossível". Parece que a política se está a parecer mais com a arte do truque e do malabarismo, para não lhe chamar o que a canção publicada, sugere.

6 comentários:

L.O.L. disse...

Decididamente eu não nasci para ser político. Gosto muito do preto no branco. Gosto da verdade e da sinceridade. :)

Um abraço.

Teófilo Silva disse...

A política actualmente mete nojo. Hoje dizem uma coisa, amanhã já desmentem o que disseram no dia anterior. A culpa não é deles. Conforme disse Teixeira dos Santos há poucos dias, a culpa é dos eleitores que votam nos políticos. ORA TOMEM E EMBRULHEM...
Políticos? Ora vejam o link em baixo.
Click AQUI

L.O.L. disse...

Tive que me rir com o link do Teófilo. lololololololol.

carol disse...

Na ruela de má fama
«o charlatão vive à larga
chegam-lhe toda a semana
em camionetas de carga
rezas doces, paga amarga

No beco dos mal-fadados
os catraios passam fome
têm os dentes enterrados
no pão que ninguém mais come
os catraios passam fome »

Mais nada!

Pedro Coimbra disse...

Agora é mais a arte do previsível, Rodrigo.
Um abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não me parece que o Papandreou tenha sido charlatão, Rodrigo. Mantenho o que ontem escrevi. Queira-se ou não ele abanou a Europa e clarificou a situação no país. Veja lá que a direita, que dizia cobras e lagartos do acordo, agora já o considera um bom acordo...