domingo, 27 de novembro de 2011

Apresentação de Candidatura do Fado


12:20h O fado já é património imaterial da Humanidade.
Num tempo em que teimam em roubar-nos o orgulho de ser Português, esta candidatura e o consequente reconhecimento é uma pequena compensação pela forma como temos sido tão mal tratados por algumas instâncias internacionais.

Ganhámos porque goste-se muito, pouco ou até mesmo nada, sabemos fazer coisas, o fado é apenas uma delas.

Assim nos tivessem deixado fazer o que sabíamos fazer bem. Não nos tivessem roubado o direito a usar a arte dos nossos antepassados, no campo da cultura, mas também na produção agrícola nos nossos campos, nas nossas indústrias tradicionais, no nosso mar pescando e usando-o para outros fins. Tivessem-nos deixar evoluir e desenvolver novas técnicas, tivessem-nos permitido usar a capacidade existente e de certeza a nossa auto-estima não estaria pelas ruas da amargura como infelizmente está.

O Fado venceu e foi considerado património imaterial da Humanidade, porque pegando na sua matriz, velhos e novos fadistas o fizeram evoluir e a sua qualidade fez com que fosse reconhecido e apreciado, muito para além das nossas fronteiras.

Hoje é um dia, em que sabe bem, ser Português.
Post reeditado.

18 comentários:

carol disse...

tem sido um trabalho de luxo! Oxalá valha a pena! Seria muito bom para o ânimo deste povo infeliz. (E, atenção, eu nem gosto de fado!)

acácia rubra disse...

Que o nosso fado seja o Fado!

Bom domingo.

Beijo

Ferreira, M.S. disse...

Boa noite, caro Folha Seca!
Porque o Fado nos está na alma... Agora falta só a distinção!
Um abraço!

Mery disse...

Pois eu gosto muito do fado, e nem sou portuguesa, lembra-me o pai, amei! ...*
beijinhos da Mery*

Rogério Pereira disse...

Rodrigo,
Na minha homilia de daqui a horas terá um link a este seu post...
Espero que goste.

Evanir disse...

Te deixo muita Alegria, Muita paz, Muita energia e meu eterno carinho por você!
Vc é muito especial para mim Existe um lugar onde tudo é possível.
Onde o amor é verdadeiro. Onde não existe um preço a pagar.
Onde tudo se conquista, nada se compra. Onde os dias são calmos e só se ouve verdades.
Obrigada por tudo por essa amizade linda que me dedica.
Estou retornando devagar conto com
sua presença no meu blog sempre que for possivel.
A novidade linda e maravilhosa que tinha para contar
é que serei em julho bisavó isso ñ é maravilhoso?
.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*.*...*...*
Que Deus te abençoe sempre .
um lindo feliz Domingo.
Evanir.
Estou seguindo-te e te amando para sempre .
Felicidade é para ser compartilhada eu divido a minha contigo.

Carlos Albuquerque disse...

Caro Rodrigo
Confesso que passei muitos anos da minha vida olhando para o fado como um vendedor de coisas inúteis, como a melancolia, o ciúme e o desencontro de almas desatinadas.
Talvez, não sei, por ter nascido em África e nela me ter tornado adolescente ao sabor e ao som das rebitas de Sábado à noite nos musseques empoeirados da minha Luanda. Não sei, talvez!
Um dia ouvi Carlos Ramos cantar "Não Venhas Tarde" e disse para comigo: Há algo neste cantar que preciso entender. O mesmo me aconteceu quando me chegaram as vozes de Celeste Rodrigues (irmã de Amália), de Amália Rodrigues e Carlos do Carmo (a Voz!).
Hoje continuo a tentar entender o fado em toda a sua plenitude. O excelente vídeo que aqui colocou (desconhecia-o) deu-me uma ajuda. Obrigado pela partilha.
Provavelmente, daqui a umas horas a UNESCO irá considerar o fado Património Imaterial da Humanidade. Se tal acontecer, sentir-me-ei bem. É que o sangue da Mãe África que por mim corre vive em harmoniosa coabitação com a seiva de ser Português!
Um abraço

Lídia Borges disse...

Não pude evitar uma lágrima teimosa, que me afirma ser este o nosso SER, esta a nossa terra, "a terra onde melhor sabemos amar" como escrevi um dia, num poema.

Um bom domingo

Lídia

Fê-blue bird disse...

Meu amigo:
Sempre gostei de fado, nasci num bairro típico alfacinha onde passava algumas noites a ouvi-lo como os meus pais.
Tem razão, deixámos morrer tanta coisa genuinamente portuguesa, pelo menos salvou-se o nosso Fado.

beijinhos

Janita disse...

Caro Rodrigo,
Hoje o Fado, enquanto estilo de canção que já representava Portugal além-fronteiras, foi eleito como Património Imaterial da Humanidade.
Todos nos sentimos orgulhosos com esse facto, mas seria maior o orgulho se, a par dessa honraria, nos fosse reconhecida a dignidade e o orgulho de sabermos defender com altivez a nossa moribunda Democracia.
Rejubilemos pois!
Mas o que eu gostaria muito era que pudessemos sentir todos os dias, orgulho em sermos Portugueses!
Um abraço e bom resto de Domingo.
Janita

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A nomeação pode ser motivo de orgulho, caro Rodrigo, mas também pode ser motivo para nos distrair do essencial.
O Tango tb foi nomeado PIM num momento em que o povo argentino atravessava enormes dificuldades. Até nisto me parece que Fado e Tango não se distinguem substancialmente, desde as suas origens.
Abraço e bom domingo

Rui Pascoal disse...

Não somos assim "tão maus" como nos pintam.
Bonito post!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Voltei propositadamente para ver o video, pois quando passei por cá esta tarde não tive tempo ( estava a preparar-me para ver o Porto Braga..)
Já o tinha visto na TV e achei belíssimo. Excelente escolha, caro Rodrigo.
Abraço

ariel disse...

Valeu a pena! Obrigada Rodrigo por divulgar este vídeo, que eu não conhecia.

Abraço

Catarina disse...

Vim fazer-lhe uma visita depois de ver o link no Conversa Avinagrada.
Plenamente de acordo com tudo o que escreveu.
Abraço

Pedro Coimbra disse...

Até que enfim que temos boas notícias, Rodrigo.
Chega de cortes, ratings, crises....
Ao contrário do Vasco Santana (Vasquinho de Anatomia), hoje é dia de gritar - Viva o Fado!!!
Aquele abraço e boa semana

Flor do Liz disse...

Sinto-me feliz e orgulhosa.
Emocionada com o video, que me fez chorar a alma.
Um excelente texto e muito oportuno.

Abraço

Pedro Coimbra disse...

Nem de propósito :))
Abraço