segunda-feira, 7 de março de 2011

O meu Carnaval

Admito que nunca fui grande folião. Admito até que há largos anos não assisto a um cortejo de Carnaval. Provavelmente sou demasiado sorumbático para me divertir vendo uma série de gente fazer determinado tipo de figuras.

E se ao longo da vida fui definindo as minhas preferências de diversão cada vez menos o Carnaval era uma delas. Mas se o fosse, provavelmente neste não teria grandes motivos para me divertir. Aliás nem consigo perceber como é que ainda tanta gente participa nos festejos fingindo uma alegria que é impossível ter.

Talvez amanhã que por aqui também é feriado consiga, não ver televisão, não ouvir rádio, não ligar o portátil e passe o dia a fingir que está tudo bem que isso da crise é uma invencionice, que isso do desemprego não existe, que as taxas de juro é coisa normal que na Libia e noutros Países não se passa nada, que o preços dos combustíveis estão no preço justo. Enfim isolo-me, não vejo, não ouço e não leio.

Pronto! Cada um goza o Carnaval à sua maneira.

4 comentários:

flor de jasmim disse...

Como tu também eu não suporto o carnaval, também sou deta tua opinião~interrogo-me como é que ainda existem pessoas que conseguem se divertir ou fingir que se divertem. Mas não vou deixar que te isoles vais-me a ajudar a tratar do nosso jardim.
Beijinho

Rosa dos Ventos disse...

Em menina e moça ainda me diverti nuns bailes mas há muitos anos que o Carnaval não tem qualquer significado para mim.
Ontem fui dar uma volta de carro e passei o tempo a fugir desses desfiles!

Rogério Pereira disse...

Folha Seca
Fique sabendo
que Carnaval é para mascarar
a dor que se está sofrendo
(só é pena que, por falta de imaginação
se recorra à importação...)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também nunca foliei. Sempe me irritaram os momentos em que todos "somos obrigados" a divertir-nos e ter boa disposição. Tal como o Natal, o Carnaval é quando um homem quiser. Parece que a maioria gosta de se mascarar de mulher...