terça-feira, 15 de março de 2011

Mas Afinal quem é que manda aqui?

A noticia que repruduzo em baixo foi surripiado a um blogue amigo, que não cito por não querer compremeter ninguem com as minhas opiniões pessoais que por aqui e ali vou deixando.
Ainda recentemente ouvimos o actual Primeiro-Ministro numa resposta a jornalistas falar nos 8 séculos de história e na não, sujeição à subserviência.
Caramba! Então o que é isto? Chegamos ao tempo de comer e calar? (neste caso não comer e calar) Pronto. Hoje de manhá ao ler o "conto do Vigário" achei que o meu ex-colega do "Largo das Calhandreiras" estava com um Azedo esquisito e que acabou por me contagiar. Mas pode ter sido só das migas do almoço, mas até me apetece dizer "quanto mais a gente se agacha mais o .. se vê!"

Bruxelas, 15 mar (Lusa)

O comissário europeu dos Assuntos Económicos disse hoje esperar que o confronto político em Portugal em torno das medidas de austeridade suplementares anunciadas pelo Governo não impeçam a sua implementação, que considerou fundamental para “pôr em ordem” as contas públicas.

Numa conferência de imprensa no final de uma reunião dos ministros das Finanças da União Europeia, Olli Rehn, ao ser questionado sobre a eventualidade de as medidas de consolidação orçamental anunciadas por Portugal "descarrilarem" face a uma falta de entendimento entre Governo e oposição, disse esperar “certamente” que tal não aconteça.

“Relativamente a um possível 'descarrilamento' (das medidas), eu espero certamente que não, porque estas medidas destinam-se a assegurar a sustentabilidade orçamental de Portugal e a estimular o crescimento económico e a criação de emprego através de reformas estruturais”, declarou.

O comissário acrescentou que “não será fácil, mas é o caminho necessário para Portugal conseguir restaurar a sua competitividade, melhorar o crescimento” e “pôr em ordem” as suas contas públicas.

ACC/FPB/Lusa

2 comentários:

Rogério Pereira disse...

Acho que na "comunidade" já está comprado o instrumento com que Passos Coelho será açaimado.
Tem a mesma marca do que aquele que pelo Sócrates é usado. Ladram, mas não mordem ao dono

Pedro Coimbra disse...

Pobre Zézito.
Está tão tristinho.
Ninguém gosta dele e ele diz que se vai embora.
Que é precisamente o que a malta lhe pede!!
Abraço