domingo, 13 de março de 2011

E a Seguir?

Confesso que não me tornei grande entusiasta da manifestação que ontem decorreu , que na verdade juntou um número de pessoas que superou largamente as expectativas dos próprios organizadores.
Naturalmente que o motivo da convocação rapidamente ultrapassou o objectivo dos organizadores pois vastos sectores da nossa população sentiram que aquela palavra simples tinha a ver com todos.

Estão à rasca, os jovens licenciados à procura do primeiro emprego e os que o têm em grande parte são precários, mas também o estão os seus Pais que esgotaram as suas economias para lhes pagar o curso e têm que os continuar a sustentar, também o estão os outros trabalhadores que sobrevivem com o salário mínimo, apesar de muitos anos de trabalho. Estão à rasca os trabalhadores de empresas que não pagam o salário a tempo e horas e só por enquanto, pois a tendência de muitas centenas ou milhares é o seu encerramento. Estão à rasca os trabalhadores que depois de uma vida inteira de trabalho têm como garantia 3 anos de fundo de desemprego.

Há muito mais gente à rasca do que se pode pensar. Para não falar nos que estão já completamente enrascados, pois dificilmente conseguirão sair de situações em que caíram por muitas e variadas razões.

Mas para além do móbil da manifestação, surgiram umas ajudas preciosas de última hora que fizeram engrossar o caudal. Destaco duas: O apelo claro do recém-empossado Presidente da República aos jovens para “fazerem ouvir a sua voz” e o desajeitado anúncio por parte do Primeiro-ministro (até parece que estava feito com os organizadores) de mais medidas gravosas que vão atingir ainda com mais força as já débeis condições de vida de grande parte dos Portuguesas.

Tudo somado resultou no cocktail ideal para o resultado da manifestação, que não pode ficar sem consequências.

14 comentários:

Anónimo disse...

Já li estas conclusões noutro lado! Peca por tardio.

folha seca disse...

Caro Anónimo
Já li sobre este tema muitas conclusões. Algumas com que concordo outras nem tanto.
É evidente que as conclusões que acha que deixei neste post, possam ter tido alguma influência noutras leituras. Aliás uma da minhas angustias é não conseguir tirar conclusões definitivas sobre o que se vai passar a "seguir" alguem sabe?
Obrigado pelo comentário e volte mais vezes se vir nisso algum interesse.
Cumprimentos

Ana Brito disse...

Caro Rodrigo
Solidariamente consigo, também eu entendo que cada vez mais se torna necessária uma reflexão profunda sobre as inquietações que pairam sobre a sociedade portuguesa, porque os tempos são difíceis e temos de ser sensíveis às manifestações de vulto que suscitam uma orientação determinada da governação portuguesa...
Um beijinho amigo :)
Ana Brito

Fê-blue bird disse...

Caro Folha Seca:
Participei na manifestação,primeiro porque me solidarizo com os problemas dos jovens, segundo porque estou "à rasca" para me livrar deste (des)governo.
Também acho que esta energia humana não pode, nem deve ser desvalorizada e quero sobretudo acreditar que vai haver consequências.
Ontem sinceramente com tudo o que presenciei, fiquei com esperança!

Bjos

folha seca disse...

Cara ana Brito
Antes de mais um pedido de desculpas por nem sempre responder aos seus sempre simpáticos comentários.
Mais do nunca e de acordo com a encruzilhada, que em termos Nacionais e Internacionais, enfrentamos e não tendo acesso aos meios de discussão "directa" a blogosfera é um meio previligiado de troca de impressões. Aliás como se viu este e outros meios podem ter um "poder" surpreendente que aliado a outros factores como defendo no meu post poderá contribuir para muitas surpresas.
Abraço amigo.
Rodrigo

folha seca disse...

Cara Fê
Embora possa parecer, nunca tive nada contra a verdadeira acção de massas ontem realizada.
Algumas reticências que podem ter sobressaído do que fui escrevendo têm mais a ver com algumas misturas e colagens oportunistas que foram aparecendo. Quanto ao resto, claro que vai haver consequências, aliás já há.
Abraço

heretico disse...

pois é - os "factos são teimosos" já dizia o da barbicha. e acabam sempre por se impor. por mais biombos com que os pretendam dissimular.

abraços

Pedro Coimbra disse...

Essa da geração à rasca ainda há-de dar muito que falar, Rodrigo.
Estamos a falar da mesma geração que teve tudo o que as outras não tiveram, não é?
E que pensou que tinha tudo garantido.
Não estará aí grande parte do problema?
Um abraço

A.Tapadinhas disse...

No meu tempo, já tive uma boa dose de manifs, cujos resultados foram muito questionáveis...

E agora? A resposta está a começar com a greve dos patrões-empregados camionistas. Imprevisível...

Beijo,
António

Anónimo disse...

Caros amigos não esqueçam que nada vai ficar como dantes.
Estas manifestações e as que se seguem são o principio de uma mobilização que condenará esta poltica contrária ao espirito da Constituição e que pela mão do PS,tem últimamente levado o País e o Povo para a desgraça.
Não acreditamos mais nos Partidos que nos tem conduzido a esta situação-PS/PSD E CDS-juntos ou não.Precisamos de uma alternativa que congregue todos aqueles que estão com o espirito de Abril e que acreditam num País diferente onde mereça a pena trabalhar e viver.
Como se faz isto: É hora de dar oportunidade aos que têm propostas diferentes;partidos ou não e ao amplo movimento cívico que se está a criar no País,com vista a outras politicas,necessáriamente de esquerda,com medidas que ponham Portugal a acreditar no seu povo e nas suas capacidades.

folha seca disse...

Caros, Herético, Pedro Coimbra, A.Tapadinhas e caro Anónimo.
Por razões profissionais passei hoje o dia completamente à margem do evoluir dos acontecimentos, salvo uma ou outra notícia ouvida na rádio.
Parece-me que as coisas estão em mudança. Talvez mais depressa do que estava "programado". A minha grande angustia é que as alternativas credíveis não me pareçam ser as melhores.
A ver vamos.
Abraços

Mar Arável disse...

Dia 19 lá estaremos

Bjs

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Completamente em sintonia, caro Folha Seca. Estou agora curioso para saber se a comunicação social dará o mesmo destaque à manif do dia 19.
Abraço

folha seca disse...

Caros Mar Arável e Carlos Barbosa de Oliveira.
Não sei se estarei fisicamente lá. Mas de certeza que estarei com o coração ( apesar de ele me impedir ou desaconselhar a lá estar).
Há de facto uma grande diferença entre a anterior e esta, independente do nº de presenças. A próxima tem objectivos conhecidos e justos. A anterior nem tanto.
Abraços