segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Caciques e Caciques...

Apesar de tudo o que já se disse em termos de análise política relativo às eleições de ontem para a Assembleia Regional da Madeira. Apetece-me acrescentar algo que me preocupa quanto aos conceitos de honestidade de grande parte do eleitorado.

Há um ditado que diz: “viver não custa, custa é saber viver”. Os ditados servem para muita coisa e muita situação. Penso que este ditado é muito utilizado para justificar o Chico-espertismo Nacional (incluindo o insular).

De facto a nossa Democracia está doente. Quando um povo elege gente, que se a justiça funcionasse estaria atrás das grades, no mínimo preventivamente até se apurarem os crimes económico- financeiros em que estão envolvidos e os não pudessem continuar a fazer e certamente destruir provas incriminatórias.

É evidente que não é um problema insular, quando no Continente se elegem autarcas a contas com a justiça, há qualquer coisa que não bate certo. Quando 36 Anos depois de Abril o caciquismo continua a ter a força que se vê. E não se trata das aldeias recônditas do Portugal profundo onde a televisão ainda não chegou, mas em zonas onde não faltam todos os meios de informação. Ou faltam?

Podíamos chutar para o défice Democrático, o emprego que o governo regional e apêndices proporcionam. Podíamos responsabilizar o "trabalho" feito por agentes dos serviços públicos do Governo Regional. Podíamos convencer-nos que aquelas boleias todas tiveram o seu efeito.

Mas em Oeiras, Gondomar e porque não Felgueiras?

Não bate certo. Não haverá por aqui uma aceitação do eleitorado que se rende às "habilidades" e até acha que o mundo é dos “espertos”?

8 comentários:

L.O.L. disse...

Uma vitória absolutamente ilógica e contra a corrente. Dá a impressão que se tivessem descoberto que o Jardim era um assassino, mesmo assim continuariam a votar nele. Será que fizeram uma lavagem ao cérebro do povo madeirense???? Ou será antes um povo burro que se farta???? :(

Fê-blue bird disse...

"O povo tem o governo que merece" esta frase que quase é um ditado, diz tudo o que penso sobre estas vergonhas nacionais.
Basta ver as nossas televisões e ler os jornais para ver a lavagem ao cérebro a que somos sujeitos.
Não há paciência :(

beijinhos

Carlota Pires Dacosta disse...

Mas o grande problema, mesmo quando a justiça não funciona, é "as gentes, que votam" que lá os colocam de novo. Esses é que não têm vergonha!!!

Beijo

O rural disse...

O AJJ é o povo madeirense e o povo madeirense é o povo.

O partido de AJJ é a Madeira.

Os partidos madeirenses puxam todos para o mesmo lado e oesse lado é a oposição ao Cont´nente.

Jluis disse...

Eu nem comento. E nao comento porque começo a ter vergonha...vergonha de ser Portugues. faz lembrar a sátira do naufrago que depois de recolhid em alto mar beija a bandeira nacional e á medida que o vao colocando a par da situação em Portugal ele num ato desesperado grita...EU QUERO VOLTAR PARA A ILHA e salta do navio e esta ilha nao é garantidamente do Jardim. Eu conheço a pessoa e nao me move nada de pessoal, embora que se calhar até com motivos...mas a situação para além de ilógica é bizarra!!!!e uma vergonha nacional. Lamentavelmente nós votamos para nos roubarem!Sobre o povo madeirense....quem mode a mao ao dono que lhe dá de comer? quantos funcionários do governo regional e suas "empresas" existem.
termino refiro nós pagamos paranos roubarem.

Antônio Lídio Gomes disse...

Meu amigo Folha Seca.
Fico impressionado com tamanha semelhança com o teatro-carnavalesco-político-tupiniquim!
Até caciques tem aí... Como aqui...
Aqui ainda em certos estados do nordeste, prevalece o coronelismo, que por uma cesta básica de alimentos, ganham uns votinhos... E como aí, aqui também há os caciques eleitoreiros...
Por isso digo sem papas na língua: Não se enganem quando ouvirem dizer que estamos por cima e no topo!
Por cima e no topo, estão eles, os de sempre lá em Brasília!
Nós, ora nós...
Meu amigo, um abraço fraterno, muita paz e harmonia.

Pedro Coimbra disse...

Rodrigo,
Nesse ramalhete, só faltou o Marco.
Porque é que elegem estas pessoas?
Só perguntando às pessoas, Rodrigo.
Mas acho que tem muito a ver com o facto de terem melhorado a vida das populações.
Apesar de todas as vigarices.
É legítimo? É correcto?
Claro que não.
Mas, pelos vistos, é mais tolerável que ver um bando de bandidos encher-se de dinheiro e deixar as dívidas para outros pagarem.
Só pode ser essa a explicação.
Um abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

As pessoas culpam os políticos mas, como já diversas vezes escrevi no CR, elas são as principais culpadas. Porque votam em clubes e não em partidos ( a maioria não faz a mínima ideia das propostas do partido em que vota) e também porque são coniventes. Nos casos de Oeiras, Felgueiras ou Gondomar, a reacção sempre foi: eles roubam, mas fazem obra!
Com gente desta, que se pode esperar?
Abraço