segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A ler Saramago...

Este foi um fim de semana em que não faltaram escritos, crónicas e comentários de toda a maneira e feitio. Tudo porque alguem correcta ou incorrectamente anunciou ir usar um direito que lhe assiste no pleno uso do mandato que recebeu do eleitorado. O já celebre anuncio de apresentação duma moção de censura, tornou-de no assunto do fim de semana e pelos vistos ainda vai durar uns dias.
De tudo o que li e ouvi, não retive nada que apontasse para esta preocupação. O que pensa o Cidadão, que não escreve, não comenta, mas pensa que a política é isto e como tal não presta. Cá por mim voltei a reler o ensaio sobre a lucidez.

"Num país qualquer, num dia chuvoso de votação, poucos eleitores compareceram para votar, durante a manhã. As autoridades eleitorais, preocupadas, chegaram a supor que haveria uma abstenção gigantesca. À tarde, quase no encerramento da votação, centenas de milhares de eleitores compareceram aos locais de votação. Formaram-se filas quilométricas, e tudo pareceu normal. Mas, para desespero das autoridades eleitorais, houve quase setenta por cento de votos em branco. Uma catástrofe. Evidentemente que as instituições, partidos políticos e autoridades, haviam perdido a credibilidade da população. O voto em branco fora uma manifestação inocente, um desabafo, a indignação pelo descalabro praticado por políticos pertencentes aos partidos da direita, da esquerda e do meio. Políticos de partidos diferentes, mas de atuações iguais, usufruindo de privilégios que afrontavam a população. Os eleitores estavam cansados, revoltados.
Os governantes, sentindo-se ameaçados, trataram de agir em nome da ordem, perseguindo, prendendo, maltratando, eliminando. Alguns que viveram os horrores da cegueira branca, novamente sofreram. Os governantes, preocupados em salvar a própria pele, em garantir o poder, não perceberam que a cegueira branca de outrora, demonstrativo de que há muito o homem estava cego, tinham paralelo com o voto branco de agora, indicativo de que a população não perdera a lucidez".

3 comentários:

Isa GT disse...

Vai-se tentando manter a lucidez... mas está difícil aguentar tanto desatino.
Tenho a impressão... mesmo que fosse 80% isto por aqui, estão fãs da super-cola 3 ;)

Bjos

Rogério Pereira disse...

A Isa é descrente
Coca-cola?
Não será águardente?

SARAMAGO, SEMPRE!

Fê-blue bird disse...

Ler Saramago sempre nos traz alguma lucidez! E tanto que precisamos dela.

beijinhos