quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A minha escolha dum Poema de Natal


Para todos os que já não andam por cá, mas que deixaram saudades.

5 comentários:

flor de jasmim disse...

A tua escolha é divinal. Dois grandes HOMENS. Consegues atravez de um, homenagear outro. Recordar quem partiu não é nenhum sacrificio ou compromisso, é um impulso chamado saudade. E a maneira de fazer com que vivam para sempre é recorda-los com "alegria",assim conseguimos que permaneçam para sempre nos nossos corações.
Bem-haja
Beijinho

Eu, Meu Contrário e Minha Alma disse...

"Uma canção à sombra de uma azinheira"
Poema que eu gosto
que me toca
que terei presente
...de qualquer maneira!

Teófilo Silva disse...

Acabei de ler o "Meu Postal de Boas Festas" e emocionei-me com a história que conta. Talvez porque também eu sou desse tempo e os meus Natais são muito parecidos. Um tempo difícil tanto para adultos como para crianças. Mas apesar das dificuldades desses tempos, o Natal parecia ser mais belo, mais real e com uma magia que hoje não existe.
O Poema que escolheu de Manuel Alegre, foi muito bem escolhido.
Vou desejar-lhe um Feliz Natal, com muita saúde muita paz, amor e Felicidade.
Um abraço.

Ana Brito disse...

Caro Folha Seca
Belo, muito belo...Dois homens, duas vozes, uma música, uma homenagem sentidamente profunda e que eu partilho consigo...
Mais uma vez...votos de Bom Natal...
Um abraço amigo :)
Ana Brito

Luís Coelho disse...

Agradeço a passagem no lidacoelho e as simpáticas palavras.

Sois companheiros de jornada desde o início da viagem.

Sois amigos que partilharam e construíram um mundo que me soltou a alma em poesia e sonhos.

Sereis sempre bem vindos eu vos ofereço minha amizade e respeito.

Os meus presentes serão estar sempre disponível nestes espaços interculturais.

BOAS FESTAS