terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Andar no Mundo por ver andar os outros. Ou?

Vivemos um período em que cada um dos nossos gestos está (a maior parte das vezes, sem o percebermos) condicionado, não àquilo que nos parece ser o mais certo, mas ao que as gigantescas campanhas de marketing que nos entram nos olhos e nos ouvidos, determinam.
Quando decidimos comprar um automóvel (e para isso temos possibilidades ou financiamento aprovado) não conseguimos fugir ao que a imprensa especializada diz. Quando decidimos comprar um fato para uma cerimónia especial para que fomos convidados não nos é fácil fugir também ao que os especialistas consideram o melhor, o mesmo para os sapatos, o relógio e provavelmente até na roupa interior, mais a gravata. Etc...Etc...

Provavelmente à partida quem ler este post, vai-me chamar qualquer coisa. Mas desafio, quem não se deixa influenciar por este tipo de comportamento algo generalizado, a dizer que não. Claro que eu sei que há. Mas serão certamente tão poucos, que dificilmente algum aqui vem parar. Até porque também a blogosfera é uma das modernices que anda por aí e quem a ela acede também já foi apanhado por umas das tais campanhas de marketing, aliás de resultados muito compensatórios para quem inventou esta e outras modernas formas de comunicar.
Esta conversa, que para post já tinha os caracteres suficientes para ser lido pelos passantes, mas eu dirijo-me também e especialmente aos visitantes. Tem como objectivo falar nas eleições presidências a realizar no próximo dia 23 de Janeiro.

Pelos vistos e a acreditar naquilo que também incluo numa das gigantescas campanhas de Marketing, ou seja as sondagens, ainda não se sabia quem eram os candidatos e aquele que já era o virtual vencedor, ainda não tinha  anunciado a sua candidatura, quando outras ainda nem sequer eram conhecidas e já as coisas estavam decididas. Há qualquer coisa que me parece viciada logo à partida. Será que um dia destes vamos conhecer um milionário vencedor de uma qualquer lotaria, antes de a roda girar? Que coisa é essa de uma (ou várias) empresas de sondagens conhecerem antecipadamente os resultados de uma eleição se os candidatos ainda não anunciaram a sua candidatura e outros ainda nem no assunto tinham pensado bem?
Pronto mais uma vez manifesto aqui o meu complexo de” Calimero”. Há 37 anos que sou eleitor e nunca me perguntaram nada, mesmo nada, nem para a junta de freguesia. Também nunca me saiu o Totoloto ou coisa parecida.

Todo este intróito para me fixar na ideia que perante as sondagens que por aí vão sendo produzidas, o caso está arrumado. Cavaco Silva é o vencedor das eleições Presidenciais de 2011.
Então e vale a pena estar para aqui a remar contra a maré? Eu que até não tenho qualquer responsabilidade, convenhamos que até que se tivesse “juizinho” estava calado. Não, não vou estar calado. Vou fazer o que estiver ao meu alcance para que esta sociedade que é o meu País não continue nesta letargia de serem uma máquinas pagas a preços de oiro a decidir qual é o sentido de voto dos Portugueses. Vou remar contra a maré, aliás, como fiz toda a vida. Sei que não estou só. Muitos Homens e Mulheres Independentes estão na mesma onda. Lamento só que muitos dos que deviam estar na linha da frente deste combate, por obrigação moral e política, estejam demasiado quietos e calados. Será para não fazer muitas ondas? Pronto eu sou daqueles que prefiro uma enxurrada a um charco estagnado.
E mais! Como diz o Povo. “Até ao lavar dos cestos, é vindima”.

11 comentários:

Anónimo disse...

em primeiro lugar deixe-me dizer -lhe que acho a sua escrita boa demais para se ficar apenas por um blog. de qualquer forma neste país pequeno lá nos vamos habituando a contentar- nos com pouco. quanto ao seu post... deixa me de certa forma de nervos em franja. por uma razão muito simples: tenho ganho( não posso dizer gasto ou perdido)algum tempo a navegar em blogs e verifico que existem algumas mentes com pensamentos dignos e correctos. começo a sentir um certo desespero por muitas vezes interiorizar o que nesta paupérrima democracia se faz. e apesar de permanecer a vontade de remar contra a maré a verdade é que é muito triste ver o quanto muitos andam tapados ou demasiado acomodados a todo este "regime".
por último deixei - me dizer- lhe que tal como o sr sou a favor das ondas...é tão belo um mar revolto.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não sou conformista, mas a verdade é que nunca houve um presidente que não fosse reeleito e, face à concorrência e à desmobilização do eleitorado, não me custa nada a acreditar que o assunto esteja arrumado. Embora, claro, a esperança seja a última a morrer.

folha seca disse...

Caro anónimo
Agradeço as suas simpáticas palavras, mas de facto a minha vida não é nem nunca foi a escrita.
Um mar revolto de facto é mais bonito que uma charco estagnado.
Obrigado, volte sempre.
Cumprimentos

Carlos.
Há sempre uma primeira vez para tudo. è preciso acreditar como cantava o Luis Góis.
Abraço

Anónimo disse...

Estimado folha seca perdoe me a correcção mas sou uma anónima. Sigo a sua escrita desde o largo...de certa forma embevecida com sábias e ponderadas palavras. Tem o dom da palavra e,sorte a de quem as lê,faz uso do mesmo. Por certo voltarei.obrigada

Fê-blue bird disse...

Amigo Folha Seca:
Lembra-se... "Cantarei até que a voz me doa!" este seu texto lembrou-me novamente esta canção e a sua força.
Lute sempre por aquilo que acredita, quem sabe se a sua determinação não pode mover montanhas?!
Apesar de estar um pouco ausente e tb constipada ;-)vim aqui desejar~lhe a concretização de todos os seus anseios para 2011.
Um beijinho

folha seca disse...

Cara Fê
Nunca irá perceber o quanto o seu comentário no momento em que o li, foi importante. Sim sou daqueles que vou até ao fim naquilo que me parece ser justo. Questão do post à parte neste exacto momento estou a sentir que fui vitima duma burla, que pode deitar por terra 20 anos de trabalho árduo. Mas pelo facto de alguem nos (potencialmente) estar a enganar, não podemos pensar que o ser humano é todo igual. Há gente boa e gente má.
Nem sempre nos saem os bons. Parece-nme que desta vez fui enganado.
Abraço e tudo de bom para sim e os que ama.

Carlos Albuquerque disse...

Não está só, não, meu caro Folha Seca!
É certo que os braços já me doeram por remar contra a maré, mas nunca quebraram. A remar continuarão.
As ondas do conformismo não são aquelas em que mergulho.
Em Janeiro lá estará o meu voto onde deve estar.
Li a sua resposta ao comentário da Fê. Lamento e desejo que tudo se resolva.
Se aqui não voltar até ao fim do ano, aproveito para lhe desejar um Novo Ano com tudo de bom para si e seus.
Abraço

Ferreira, M.S. disse...

Caro Folha Seca,
Concordo com o que escreve - mas às sondagens ainda faltam as eleições de facto.
Nos dias que correm é importante que haja cada vez mais pessoas como o Folha Seca que teimem em não se conformar!
Um abraço!

folha seca disse...

Caro Carlos Albuquerque
Agradeço mais uma vez a sua visita, peço desculpa por não corresponder tanto como o meu caro merece, mas sabe eu ainda estou no activo (espero que ainda mais uns anitos) e há coisas que vão passando. É importante sentir que que não estamos só nas nossas opções.
Para si e para o Ferreira, relembro o António Aleixo.
"A razão mesmo vencida não deixa de ser razão"
Abraços

poetaeusou . . . disse...

*
Amiga
,
que as vagas de 2011,
te tragam um mar de saúde e
marés de coisas boas (se possível)
,
conchinhas de amizade,
,
*

Helena disse...

Temos sempre de remar contra a maré, se tivermos a consciência de que as coisas não estão a tomar o rumo certo. De outra forma não conseguiríamos viver com nós mesmos.
Desejo-lhe um excelente 2011. Muita força e coragem!