quinta-feira, 30 de agosto de 2012

"Terra Queimada"


A comum desculpa de falta de tempo para escrever um post, também me atingiu. Ou seja arranja-se sempre tempo se a motivação existir.
Na verdade, nos tempos que correm apetece-me dizer tanta e variada coisa que acabo por embatucar e não sai nada. Tenho-me refugiado com a publicação de músicas e canções porque a “cantar também se diz”.
Um companheiro de outras andanças blogueiras e que criou o seu próprio blog, que viria a fechar um tempos depois, confidenciou-me por mail que estava farto da “chafurdice” que grassa neste País. Não me parece que não esteja atento. Estou certo que não está quieto e certamente participa em algo que possa contribuir para a denúncia das patifarias a que todos os dias assistimos.
A mim já nada me surpreende vindo do bando que “tomou” conta deste País, autêntica comissão liquidatária. Surpreende-me sim a inércia da dita oposição de esquerda que na prática só se faz ouvir quando lhes concedem algum “tempo de antena” fora disso?
 
Entretanto assistimos à derrocada do nosso País. À venda por pechincha e meia daquilo que ainda vai sobrando. À destruição do nosso tecido económico e social. A um aumento vertiginoso do número de desempregados a certeza que vamos deixar para as próximas gerações um País desfeito e o que sobreviver fica na mão de potências estrangeiras, mais ou menos emergentes.
 
Lembro-me de uma das atoardas usadas contra as forças revolucionárias a seguir ao 25 de Abril, acusando-as de praticar uma “política de terra queimada”. Mas quem está a queimar esta terra, até às cinzas é a direita ultraliberal instalada no aparelho do Estado. Mas lamentavelmente parece que pacificamente se aceita que assim seja e em 2015 logo se vê.
Não vi nem ouvi nenhum dirigente político da oposição apontar o caminho da rua a estes energúmenos em figura de “Governo” o que não é mais do que uma estranha cumplicidade. Também não vejo qualquer vontade de juntando o essencial e deixando o acessório,  a oposição trabalhar para criar uma alternativa credível à actual situação.
 
Enganem-se os que esperam que quanto mais tempo passar mais votos vão ganhar. As vítimas do estado a que chegarmos nessa altura, não perdoarão aos causadores, mas também não o farão em relação aos que deviam fazer tudo o que estivesse ao seu alcance para o evitar e sinceramente sou dos que pensa que não o estão a fazer.

8 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A inércia e abulia do PS contagiou os portugueses, mas ainda tenho esperança que um dia acordem e se mexem. Se já não for demasiado tarde...
Abraço

Luciano Craveiro disse...

Meu caro amigo!
Apenas lhe digo que os nossos descendentes não merecem herança tão funesta. Vêem-se por aí tantas famílias que já nem sequer têm dinheiro para pagar a conta da luz que muito me admira como é que ainda não surgiu nenhuma revolta de rua. Será que o povo português perdeu os "tomates"? Peço desculpa pelo palavrão mas é só o que me ocorreu perguntar.
Um grande abraço

Francisco Clamote disse...

Partilho as mesmas preocupações. Abraço, Rodrigo.

Rogério Pereira disse...

Vá levante-se lá
Espera que os mortos acordem? Mas esses que espera que acordem fazem pior acordados do que estando a dormir...

Venho, para variar, dar-lhe más noticias... que respondemos a isto

Graça Sampaio disse...

A mim este marasmo, esta abulia traz-me fora de mim! Só que a título individual nada há a fazer e se estamos à espera do Seguro seguríssimo, bem podemos esperar sentados. Que transtorno!

Pedro Coimbra disse...

"Enganem-se os que esperam que quanto mais tempo passar mais votos vão ganhar."

Em cheio, Rodrigo!!
Esta oposição (???) julga que, por não fazer nada, e deixar o governo asnear, consegue mais votos.
Estão tão enganados!!
Vejam as sondagens e acordem porra!!
Aquele abraço e votos de bom fim-de-semana

mfc disse...

Tenho sérias dúvidas, infelizmente, que essa fúria/indignação se possa instalar!

Fê-blue bird disse...

Meu amigo já não acredito em milagres!
beijinhos