quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Opiniôes com interesse.

Hoje rumei a Sul pela A8 e A17. Às moscas… Que país!, duas auto-estradas paralelas que se namoram, estádios que de um Euro – não é esse… -megalómano passaram para as mãos de ervas gulosas, queda brutal das vendas de automóveis, mas teimosia na quantidade de cavalos desejados. Os noticiários. E o espanto em face da solução bicéfala preconizada para o Bloco. Porque é moderno? Rigorosamente falso. Por um homem e uma mulher mimetizarem a realidade social? Um bocado heterocêntrico, acho eu. Digna e não própria do século XXI, e já testada, será a escolha de quem se julga melhor para o desempenho do cargo, independentemente do sexo. Tudo indica a tentativa de equilíbrio entre tendências, os jogos de sombras, a “partidarite crónica” disfarçada. Tenho pena. Muitos amigos meus militam no Bloco. Fizemos campanhas juntos por causas que nos continuam a unir. Votei com eles algumas vezes, embora o PS seja o espaço político natural em que fui criado nunca alinhei no estatuto de “independente pseudo-independente”. Que vota porque está de acordo ou simplesmente por ser útil; útil é o voto que me deixa de consciência tranquila, incluindo o branco, só a abstenção me está vedada, meu Pai não me perdoaria o alheamento das decisões sobre o governo da Cidade. Num passado não muito longínquo o Bloco enveredou por estratégias que considerei erradas e levaram a pesados recuos eleitorais. Se este caminho para a liderança for mal conduzido o declínio acentuar-se-á. Na opinião pública e nas urnas. E o Bloco, que marcou passo na fronteira entre o charme da adolescência e a fiabilidade adulta – eu sei, eu sei, existirá tal coisa em cada um de nós e na política?…  poderá afastar-se dela irremediavelmente.
 
Julio Machado Vaz (via Facebook)

4 comentários:

Luciano Craveiro disse...

Que tristeza de país. Isto não vai acabar nada bem!
Abraço

Anónimo disse...

Pois é um desgraça.E uma desgraça não vem só.Até Novembro vamos ter mais do mesmo.No bloco a agenda politica vai ser a sucessão do actual lider.E depois não se admirem de naturalmente o bloco desaparecer e cada um voltar à barriga da sua mãe.Naturalmente...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não sei se será uma má ideia, a curto prazo. Lamento se der para o torto porque,embora não sendo bloquista, penso que o seu fortalecimento seria benéfico para a esquerda em geral e para o PS em particular.
Abraço

Pedro Coimbra disse...

este tipo é um craque, Rodrigo!!
E a ideia do Louçã é uma coisa estranhíssima.
O líder demissionário aponta ao partido o caminho a seguir?
E as pessoas que devem liderar?
Há tiques que não se perdem, não é?
Aquele abraço