segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Poema de segunda-feira para Carlos Drummond


Ah, segunda-feira ensolarada,
 Não estranharia se estivesses cinza…

Triste é teu semblante nesta segunda-feira amarga.
 Estampado no rosto
 Do poeta, do lixeiro, do professor
 Do teu semblante no espelho, cansado de ser e refletir,
 essa fadiga de estar sendo e indo
 aqui, nesse lugar
 o relógio determinando teu ritmo
 tua hora de chegar e de sair de correr e de dormir
 esses funcionários, uniformizados, tão práticos
 solicitando prazos disto e daquilo,
 felicitações ao Sr. Diretor, ao Sr. Gerente, ao Sr. Doutor…

Ah, os buzões abarrotados
 os pombos, os cigarros, os semáforos
 os policiais policiando
 os meninos de rua
 os engarrafamentos
 os metrôs
 as duras estações da pressa
 o ódio nos esbarrões, nas buzinas
 gente espremida contra as janelas
 um bando de gente morta
 indo maquinalmente para o trabalho
 distantes de tudo e todos
 e mais distantes ainda de si.



E não há flor nem lua nem poema que que tire essa gente do abismo
 Essa selva de carros edifícios ruídos motores válvulas e fios telegráficos
 e anúncios anúncios e mais anúncios mentiras e mais anúncios:

“Venha morar no Setor Noroeste,
 um modo verde de se viver!…”

ah, esse gente triste
 indo para o trabalho
 esse gente triste
 das especulações imobiliárias
 esse gente triste
 segue, alheia de si
 como o boi para o abate

Ah, poeta, a tua flor
 a rosa do povo
 ainda que feia
 ainda que suja
 ainda brotará do asfalto?
A. Canuto (Sabiá Duqueza)

7 comentários:

quem és, que fazes aqui? disse...

Belíssimo poema! Com alguma descrença. Mas há-de brotar a flor do negro asfalto; há-de brotar a flor dos campos incultos... É só mais um tempo... coisa pouca.

Beijo

Laura

lidacoelho disse...

Um poema para ler com calma no final de segunda feira.
O pensamento do poeta desdobra as nossas emoções.

Gisa disse...

O recomeço de cada semana parece sempre muito difícil.
Um grande bj querido amigo

Graça Sampaio disse...

Assim estamos nós, portugueses, e, tristemente, não só à 2ª feira!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

No final do dia, uma leitura repousante, Rodrigo
Abraço

Pedro Coimbra disse...

Grande escolha para uma segunda-feira que há-de chegar, Rodrigo.
Aquele abraço!

OceanoAzul.Sonhos disse...

Grande poema Rodrigo!

abraço
cvb