quarta-feira, 21 de setembro de 2011

CANÇÃO DO MAR


Vou andando por aqui…
Há largos anos que a areia da praia me  faz cócegas nos pés, no entanto não dispenso a vista, o som e o cheiro do mar. Tenho a sorte em viver e trabalhar a poucos minutos do dito. Apesar disso, nestas curtas férias estou junto ao mar. Embora não dispense umas boas sornas, também não dispenso umas voltinhas. Em 3 dias já corri quase todos os cantos de Peniche até à Ericeira. O mar é uma coisa linda. Cada canto tem a sua personalidade, o seu som e o seu cheiro. Talvez no regresso, Sábado dê um salto a Lisboa e vá comprar “Sargos para o Jantar”. Até lá!

5 comentários:

Janita disse...

Até lá então, Rodrigo.
Continue com as suas voltinhas à beira-mar, as retemperadoras sornas e vá comprar os "Sargos...",
para se deliciar nas ceias frias que se avizinham.

Esta "Canção do Mar" já a ouvia em criança na voz de Amália e o sortilégio mantem-se. Bonita escolha.

Continuação de boas férias e um abraço Rodrigo.

O Puma disse...

Apareça

Gisa disse...

O mar mete medo e encanta. Uma dualidade e tanto!
Um grande bj

Rogério Pereira disse...

Vir a Lisboa? Sábado?
Cuidado com o lixo cósmico...

(não sei ainda se nos iremos encontrar...)

Anónimo disse...

Vamos embora caro Rogério Sabado,dia 1 de Outubro o destino é Lisboa ou Porto.
Numa grande onda para combater a desgraça e encher os nossos corações de motivação para alterarmos o rumo da politica das troikas.