terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Um azar nunca vem só.

Apesar de conhecer esta história (que presumo verdadeira) há bastante tempo, tive que fazer uma longa busca para a reencontrar. Não a publico com o objectivo de pôr ninguem a rir com o mal dos outros (coisa em que somos especialistas). Mas estava a pensar em tudo o que nos tem acontecido e do que ainda mais nos que nos vai acontecer e ocorreu-me esta tragédia.
A leitura não é fácil, mas acho que vale a pena usar os truques habituais, nem que seja com uma lupa. 

8 comentários:

Graça Sampaio disse...

Que horror! Mas que relato tão completo e vivido...

Deus nos livre!...

quem és, que fazes aqui? disse...


Como diz a Graça, um horror de relato!

Mas algo nele me fez lembrar de um país em coma induzido.

Beijo

Laura

Fê-blue bird disse...

Valha-me Deus quanta desgraça :)

Afinal ele foi indemnizado?

beijinhos

Francisco Clamote disse...

Há, de facto, muita semelhança com o que se passa neste desgraçado país.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Lá detalhado, foi, Rodrigo! E é um bom retrato do país, também.
Abraço

Janita disse...

Azares destes não são frequentes, Rodrigo!
Nem sei como o sr. conseguiu no meio de tanta aflição, recuperar o estado de espírito, como ele muito bem descreve.
Tanto tormento para no fim ficar tudo escaqueirado! Oh, homem azarado! Credo!
Ninguém diga que está bem!
Eu gostava era de saber se com um relato tão pormenorizado, ele foi indemnizado.:)

Um beijo.

Janita


Rogério Pereira disse...

Acho que é a premonição
Do que passará a Nação

Pedro Coimbra disse...

Rodrigo,
Porque é que eu não evitei uma sonora gargalhada com o que li?
Isso faz de mim um tipo terrível?
Aquele abraço