segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

O Meu Postal de Boas Festas

Ao reler alguns posts anteriores choquei com este, escrito no natal de 2010 reedito-o porque infelizmente está actualizado e de que maneira.
Talvez porque os meus Natais nunca foram de grande felicidade. Talvez porque, apesar de tudo a minha família mais próxima, esteve sempre fisicamente perto. Os meus Natais nunca foram de grandes festas. Talvez porque alguns dos meus Natais foram tristes. Talvez porque alguns dos meus Natais foram passados no desemprego (sim no tempo em que nem subsidio para isso havia)
Encaro os Natais como períodos de uma certa tristeza, quando o contrário como manda o senso comum é que que devia valer.
Para além disso, continuo a olhar para este período como daqueles em que a hipocrisia mais se faz notar.
Como encarar a “felicidade” de um Natal, olhando para aqueles que não têm possibilidades de consumir o mais que trivial bolo-rei? Quando sei que muitos Pais não podem fingir de Pais Natais, metendo umas simples figuras de ”chocolate mesmo ocas nos sapatos dos seus filhos”, porque o orçamento não dá para isso e muito menos para um prato de bacalhau com couves na consoada.
Pode-se ser feliz num Natal destes? Pode-se ser feliz num Natal que antecede o princípio de um ano que ameaça lançar para o desemprego, para a miséria, para abaixo do limiar da pobreza muitas e muitas mais famílias? Pode-se ser feliz, quando o futuro nos é apresentado, muito mais difícil e onde a única certeza, é precisamente a incerteza sobre o nosso futuro colectivo.
Aos meus amigos e amigas que por aqui me visitam , desejo o melhor possível. No Natal, no início do próximo ano e no seu decorrer.
Abraços.


Como para a mim a solidariedade não é uma palavra vã deixo-vos em baixo uma canção (pedida por empréstimo ao José Mário Branco) que fala precisamente nisso.

17 comentários:

Rogério Pereira disse...

e depois deixo-lhe um sorriso
um sorriso de Natal
Não sabia
que havia?
Nem eu. Acabei de o inventar
para lho ofertar

(Boas Festas e um sorriso)

Anónimo disse...

Como seria feliz o meu Natal, se eu conseguisse esquecer que vivo neste país, tão à mercê dos especuladores e seus vassalos Sócrates & Cpª.
Apesar do meu azedo desabafo, desejo-lhe Boas Festas, assim como a todos os leitores deste Blog.

Carlos Albuquerque disse...

Caro Folha Seca,
Como eu compreendo, e sinto, o que diz no seu Postal de Boas Festas...!
O que escreveu será, para os indiferentes, um murro no estômago.
Inteiramente de acordo com o que diz sobre a hipocrisia. Dói ouvir políticos que, humanamente, não passam de seres desprovidos de alma,falarem, como falam, da pobreza.
A hipocrisia, meu caro, a hipocrisia!
Como ela se assenhorou da vida!
Reina em absoluto.
Gostaria, como o Folha Seca, estou certo, que se desse voz:
- aos que têm o relento por tecto;
- aos que como uma côdea de pão ressequido enganam a fome;
- aos que enxugam as lágrimas com o desespero da falta de esperança;
- aos que da vida mais não têm do que a certeza
de uma finitude amarga e de dor mordente.
Um abraço

flor de jasmim disse...

As dificuldades ensinam e fortalecem, as facilidades iludem e enfraquecem. Como eu me enquadro neste teu "Postal de Boas Festas"como eu compreendo e vivo cada palavra por ti escrita. Eu faço parte dos Natais tristes. Passei alguns não sem emprego porque trabalhava apenas não recebia, então passei algumas consoladas a chorar por não ter que dar de comer às minhas filhas. Também eu irei entretanto fazer parte dos desempregados. Também eu não suporto a hipocrisia e o consumismo que por vezes acima das possibilidades, mas fazem das prendas uma prioridade . Não resistem, não sabem dizer não. Teu texto e o video do José Mário Branco fez-me chorar. Há coisas.
Beijinho sentido

Isa GT disse...

Eu espero que o Natal passe depressa, já vou no 2º que a filha está longe e não estou à espera que o próximo seja diferente... com os mesmos 6000km de separação...
Depois temos este país que nos próximos anos vai atravessar o Inferno e se já há, os que desceram as escadinhas... fica a angústia de não saber como as vou descer, se devagarinho ou me enfiam no elevador expresso...
Definitivamente... não estou com grande espírito natalício... mas tento por causa do garoto... e quem faz o melhor que pode, a mais não é obrigado ;)

Bjos

Ana Paula Fitas disse...

Caro Rodrigo,
O Natal veste-se de cores para ocultar a tristeza... todos os Natais são, de uma ou de outra forma, tristes... é por isso que os inventamos no esforço que dar aos outros uma qualquer alegria, a companhia, o sorriso, um abraço.
Eu nem gosto do Natal... limito-me a inventá-lo para o viver no espírito colectivo com que se vão fazendo os dias... felizmente, passa depressa esta quadra de obrigações... e depois temos o resto do ano para viver a partilha e a solidariedade que nos querem fazer crer ser o espírito de Natal... somos todos, Rodrigo, uma espécie de meninos que chora, mãos no rosto, a calar um qualquer desgosto, uma qualquer solidão. Por isso, não haverá distância entre todos nós neste Natal :))
Um grande abraço de admiração e respeito e um grande beijinho amigo e solidário.

Ferreira, M.S. disse...

Caro Folha Seca,
De facto há coisas difíceis de mudar e muitas vezes fora do nosso alcance!
Da parte de quem o lê com muito gosto um grande abraço e votos de um Natal caloroso na companhia dos seus!
Ferreira

Mar Arável disse...

Dezembrando
que vivam os criativos

Tudo pelo melhor

Um abraço

Luís Coelho disse...

Os meus Natais também foram tristes mas ensinaram-me a aceitá-los com valentia e naquela esperança «para o ano será melhor»

Sinto minhas as lágrimas das crianças com fome e sede de um boneco de chocolate mas parece-me que o Natal é todos os dias e devemos minorar tantas desgraças contidas no presépio dos nossos dias.

Agradeço as tuas simpáticas palavras no lidacoelho.

Desejo também para todos vós Boas Festas e que a tal de Dona Esperança não morra perdida num canto qualquer.

Para o ano há mais. Mais uns passinhos e logo estamos lá.

folha seca disse...

Caros e Caras amigos (as)
Há momentos em que saem coisas das nossas canetas (teclados) que reflectem o estado de espiríto com que estamos em determinado momento. Esta minha visão do Natal já há muito que é assim.
Obrigado pelos vossos comentários e o neles contido.
Abraços

Flor do Liz disse...

Bom Natal para si e para todos os seguidores, deste blog.

Temos que arranjar animo e confiança para aguentar as adversidades da vida, infelizmente já não é o primeiro Natal que passo desempregada, parece que o desemprego me persegue.

Boas Festas

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tive vontade de assinar este post por baixo, meu caro.
Grande abraço e....Feliz Natal

Austeriana disse...

Votos de um Natal e de um Ano Novo fabulosos!

Abraço.

Lua Nova disse...

Meu querido...

Muito me esforço para que, no Natal, minha fisionomia não revele o que realmente vai em meu coração. Os filhos vêm para casa, fazemos refeições outra vez juntos e eles se sentem felizes. Isso me ajuda muito a ser feliz também.
Mas penso como vc e, nessa época, as injustiças que vemos parecem ainda mais injustas. Faço o meu melhor, contribuo da melhor maneira que me é possível com os que estão mais próximos, mesmo sabendo o quanto isso é apenas superficial e fugaz. O que importa mesmo são as ações diárias, as atitudes durante todo o ano. Não podemos consertar o mundo, mas se agirmos com consciência, estaremos fazendo o possível.
De qualquer modo, espero que seu coração se alegre e que seu Natal seja cheio de amor.
Que no Natal de 2011 vc tenha muitos e muitos motivos para comemorar.
Beijokas.
Saudades de vc.

Ana Brito disse...

Caro Folha Seca
Solidariamente consigo...assinando por baixo, se me permite...
Desejo-lhe umas Festas Felizes e um 2011 cheio de coisinhas boas - saúde, tranquilidade, alegria e sucesso pessoal e profissional, assim como dias felizes para este excelente blogue.
Um beijinho amigo e feliz e bem-haja por tudo o que partilha connosco :)
Ana Parracho Brito

Hugo Nofx disse...

abraço.

poetaeusou . . . disse...

*
caro Amigo,
a minha musica de Natal,
enquadra-se no teu post,
como é bom ser solidário !
,
no rumo do meu retorno,
um Mar de Felicidade,
entre ondas de Saúde,
desejo-te,
,
um mar de Luz, fica .
*