sexta-feira, 12 de outubro de 2012

"COMO CÃES DE RABO NA BOCA"

por Peter Pung
"O Sr. Zé produziu um Pão e vendeu-o por 1 Euro. No ano seguinte trabalhou mais e melhor e conseguiu produzir 2 Pães mas só os conseguiu vender por 0,75 euro (aos dois) porque o preço do Pão caiu. No ano seguinte os 3 Pães que produziu foram vendidos apenas por 0,25 Euro. O PIB do País do Pão estava em queda. O pânico instalou-se. Não havia um tal de "Crescimento".
O Governo de Padeiros preocupado com o CRESCIMENTO ECONÓMICO promoveu o endividamento do Sr. Zé para que este produzisse ainda mais Pães e assim o PIB crescesse.
Infelizmente nada aconteceu.
O Preço do Pão baixou.
No ano seguinte o governo decidiu endividar-se para ajudar ao endividamento do Sr. Zé para que este produzisse ainda mais Pães.
Mas o Preço do Pão voltou a encolher e o País não cresceu.
No ano seguinte o Governo resolveu tomar uma medida inovadora: promover o endividamento dos consumidores de Pães para aumentar o Consumo e fazer crescer o PIB.
O Preço do Pão desceu ainda mais e o PIB do País não cresceu.
A crise instalou-se. Se o País do Sr. Zé fosse uma animal seria um daqueles cães que ficam tontos de tanto tentarem morder a cauda sem sucesso.
Algo estava mal.
O Governo reflectiu, analisou e concluiu que o problema é só um : a empresa do Sr. Zé, o Sr. Zé, os clientes do Sr. Zé e o Estado estavam todos sobre endividados !!!
Chamaram Advogados e Economistas famosos. Debateram ideias e até fizeram análises jurídicas e econométricas complexas.
Depois de muitas análises laboratoriais ganharam coragem e em nome do Pão foi decidido :
1) Assumir frontalmente que o Sr. Zé trabalha muito pouco e que tem um problema;
2) Que perante níveis de produtividade e competitividade tão baixos há que liberalizar o seu despedimento e reduzir os descontos que faz para a sua velhice para que assim se consiga exportar para o grande mercado internacional do Pão;
3) Para convencer os Credores de que o Sr. Zé vai conseguir pagar todas as sua dívidas e até aumentar as Exportações reduziram-lhe, com um aumento brutal de impostos, o dinheiro disponível para o Consumo do Pão e para os Investimentos na actividade.
(Dois anos mais tarde.....)
Passaram dois anos e o Sr. Zé é mais feliz.
Vendeu a padaria para uma loja dos chineses, fugiu da dívida e emigrou para a Suíça.
Está empregado numa padaria que faz Pães com uma Arte como nunca viu fazer. Sabores e recheios incríveis. A padaria até tem uma marca e tem uma forma de se relacionar com os clientes como nunca viu em Portugal. Agora tem tempo para ir ao Teatro e Exposições de pintura. Lê mais e até está a tirar um curso sobre Gestão e Artes Gastronómicas na Universidade do Pão. Os filhos estudam coisas que só os "Estrangeiros aprendem"....esperam um dia serem tão criativos e inovadores que não há PREÇO que os agarre.
Sonha um dia voltar a Portugal para mostrar não é nenhuma besta incapaz e que nunca lhe deram Oportunidades.
Manda saudades e pediu-me para vos dizer que o problema não é a dívida como nos dizem. É do PREÇO."

3 comentários:

Observador disse...

Bom trabalho, caro Rodrigo.

Abraço e bom fim de semana.

Janita disse...

Pois é Rodrigo!
Não sei quem é Peter Pung, mas sei que o recado do Sr. Zé está certíssimo.

Beijinhos e bom fim de semana.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Bela metáfora, Rodrigo
Abraço e bom fds