quarta-feira, 10 de outubro de 2012

"A coisa por aqui está preta"



A poesia só por si ou transformada em música acompanhou-me desde muito cedo. Houve tempos em que era a única forma de “desembuchar “e ganhar alento para nos motivarmos para as causas que muitos de nós ainda na “puberdade” já abraçávamos.
Numa fase da minha vida e de grande parte dos Portugueses em que a tristeza nos invade e nos motiva a lutar contar o miserabilismo que nos estão a impor e quando as palavras não saem, os poucos posts que tenho publicado são de canções que de uma forma ou outra me marcaram e cujo conteúdo me diz muito.
Talvez em jeito de resposta, ao “quase anónimo” que me perdoem os restantes comentadores, aqui deixo mais uma, que talvez responda às questões que deixou.
Claro que farei tudo o que for capaz e não será o desânimo que me derrota.

10 comentários:

JP disse...

Olá,
O desânimo nunca nos poderá derrotar, meu caro amigo!


Abraço

Francisco Clamote disse...

Lá preta está! Abraço, Rodrigo.

Rosa dos Ventos disse...

Preta e de que maneira!
Mas se o desânimo e a tristeza com que vivo fosse só por isto até aguentava...:-((

Abraço

Agulheta disse...

Se está preta! e não vejo ela ter outra cor que nos vislumbre.Nunca baixar os braços a estes "negrume mafiosos"
Abraço amigo

Observador disse...

A situação não está famosa. Mas o desânimo não deve tomar conta de nós.

O desânimo derrotar-nos? Nem pensar...

Um abraço, caro Rodrigo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Mais do que a noite escura como breu, Rodrigo
Abraço

Pedro Coimbra disse...

Gostei de o ver de volta aqui, Rodrigo.
Você é forte e não se vai abaixo com dua lérias.
Vamos a isso, Amigo!!
Aquele abraço

Isa GT disse...

Para quem está de fora, podemos tentar dar coragem mas no fundo lembra o velho ditado... só quem está dentro do convento, sabe o que lá vai dentro e sei como as coisas podem estar mais pretas para uns do que para outros, mas mesmo que estejam muito negras e calculo que sim, é preciso nunca esquecer que, se não há bem que nunca acabe também não há mal que sempre dure, pode parecer que demora mas acaba sempre por se resolver, só que durante o processo temos sempre que pensar positivo, especialmente quando há alturas que não podemos fazer mais nada do que esperar pois, nem sempre, a solução está só nas nossas mãos, e está dependente de muitos outros factores e esse impasse, é a parte mais desgastante... mas garanto que há-de passar.

Bjos

Janita disse...

Rodrigo,
A coisa aqui está preta de facto, mas até na noite mais escura, em tempo de solidão, há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não...ao desânimo!!
Um beijo e muita força, meu amigo!

Janita

Pedro Coimbra disse...

Passo para lhe deixar um abraço e votos de bom fim-de-semana, Rodrigo