sexta-feira, 3 de julho de 2009

Que dizer e fazer?

Há uns tempos criei este blogue inspirado pela participação que fui tendo como bitateiro num dos melhores, criados por estas bandas( Largo das calhadreiras).
O meu objectivo era o de ao exemplo do que faço há muitos anos (ir tomando umas notas sobre as mais variadas questões do quotidiano. O que não se compadece com o bitaite pura e simples
Daí e por achar que podia e devia partilhar algumas das minhas opiniões com quem quisesse, criei este blogue e tornei-o publico.
O meu ultimo post referia-se a uma situação em que não me devia meter (assuntos internos de um dos partidos concorrentes, às eleições autárquicas) mas que como cidadão independente e eleitor de há uns tempos largos nesse mesmo partido, achei que devia meter o nariz, para onde(nunca) não fui chamado.
Agora que aparecem dados novos, tais como a "confirmação" de que para alem dos partidos tradicionais mais o emergente Bloco de Esquerda, tambem o tal MCIvai a votos e uns boatos de que há mais um movimento de esquerda que se prepara para eventualmente entrar na disputa, parece-me que apesar do curto espaço de tempo que resta, as coisas estão a ficar seriamente baralhadas.
À partida para quem prefere pouca agitação e águas paradas, estas hipóteses vêm complicar. Eu sou daqueles que prefiro uma enxurrada do que a estagnação, até porque sou alérgico a melgas e mosquitos.
A Marinha Grande tem (independentemente dos rótulos ideologicos) grandes valores em capacidade de gestão a todos os níveis inclusive, autárquico. Porque não escolher os melhores e afastar os medíocres? Embora reconheça nalguns dos candidatos já conhecidos, qualidades inquestionáveis.
Nas candidaturas partidárias já pouco há a mexer. Os actores principais e os figurantes estão escolhidos. Sabemos da insatisfação e falta de entusiasmo existente em relação aos mesmos. A democracia assente nos Partidos politico é o melhor sistema inventado pelo homem, mas esse mesmo sistema permite outro tipo de participação aos cidadãos. Porque não usá-lo?


1 comentário:

oolhodocuko disse...

A democracia, assente nos partidos, é o melhor sistema inventado para que os Povos de todo o mundo se convençam de que são livres.

Povos que insistem quase sempre em votar num dos partidos cujos membros principais são serventuários do grande capital (controle de tvs, jornais, rádios, net etc), apesar da inoperancia calculada destes na defesa dos verdadeiros interesses do cidadão comum.
A psicologia de massas mais uma vez a desvavor dos mais carenciados.

Que fazer?