sábado, 23 de janeiro de 2016

Reflectindo!

Dizem-nos que hoje é dia de reflexão, dado que amanhã há eleições. Admito que haja ainda muita gente que não sabe em quem votar, mas pior que isso é ter consciência que há uma imensidão de gente que nem sequer se dá a esse trabalho, pois não se vai dar à “chatice” de isso fazer, ressalvo que uma considerável parte o não faz por falta de mobilidade física. Mas a maioria vai-se abster porque votar ou não votar lhe é indiferente. Sabemos que não é assim, mas não pretendo com esta nota, aprofundar o tema.

Há no entanto um aspecto que não sendo novo, sobressaiu nestes últimos dias da campanha da primeira volta (coisa em que acredito convictamente). O divórcio entre o povo e os políticos. Não alinho nada na ideia de que os partidos são um mal e defendo que são absolutamente necessários em qualquer regime democrático. O problema que tanto mal nos causou não foi originado pelos partidos em si, mas por uma casta que deles se foi apoderando não para servir, mas para se servir. Alguns episódios recentes mostram isso.
Os partidos e os políticos não são todos iguais, é um facto e se generalizo sei que estas coisas acontecem mais nuns do que noutros, mas não absolvo nenhum. Se alguém se sentir ofendido questione-me.

Mas reflicto (coisa para que não me falta tempo) no estado em que este País se encontra, o que o fez chegar a este estado e se nada já podemos fazer para o evitar, reflicto sobretudo no que cada uma de nós pode fazer para inverter a marcha de degradação do nosso País e dos seus habitantes.


Dado que pouco mais posso fazer, amanhã vou votar acreditando que o ”tempo novo” que precisamos depende de nós!

9 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Resumindo:
"Os partidos e os políticos não são todos iguais,"
uns são, outros mais ou menos,
ou melhor nenhum escapa e todos são!

Excelente conclusão

Observador disse...

Sempre dependeu de nós, o "tempo novo".

folha seca disse...

Caro Rogério
Não,não entrei naquela de todos os partidos são iguais. Na minha vida só militei num partido (como bem sabe) e como soe dizer-se não há amor como o primeiro e não sou nada de inventar um amor para esquecer o primeiro, apesar das desilusões e desgostos que me causou. Não veja no meu texto um ataque aos partidos e a todos por igual.Todos têm a sua história, os seus objectivos e o seu fundamento ideológico. Mas há uma coisa comum a todos. Os homens (onde incluo as mulheres, claro) que estragam muito no que mexem. reio ser uma conversa que muita gostaria de ter olhos os olhos (mas que a distancia geográfica) não facilita. Mas para já vamos derrotar o candidato da direita.

folha seca disse...

Caro Observador
Obrigado pelo seu comentário e as desculpas pelo meu ir passando "como cão por vinha vindimada".

Isso mesmo. Eu respondo "façamos por nossas mãos o que nós nos diz respeito". Este excerto será certamente mais conhecido pelo amigo de cima, mas enfim.

Abraço
Rodrigo

Flor do Liz disse...

Que hoje, tenhamos a felicidade de entrar no " Tempo Novo".

Janita disse...

Gostei muito, gosto sempre, das suas reflexões e desta, especialmente, Amigo Rodrigo.
Assim como achei essa foto muito linda. Reflectir junto a um ribeiro que vai engrossar o Rio, é uma boa maneira de mostrar como seria vantajoso, para todos nós, se houvesse uma maior união, na 'reflexão'.

Que o Tempo Novo seja o tempo desejado.

Beijinho e boa semana.

Janita

Pedro Coimbra disse...

Já está tudo decidido.
Agora paz, harmonia, sã convivência.
De bocas e turras já está tudo cansado.
Aquele abraço, boa semana

Henrique Antunes Ferreira disse...

Rodrigamigo

Já tá!!!!!!

INFORMAÇÃO

ALELUIA! GLORIA IN EXCELSIS DEO!!!!

JÁ TENHO UM NOVO IMEILE DESTA FEITA INDIANÍSSIMO PARA O QUAL PODEM ENVIAR O QUE QUISEREM. É O

henrique20091941@rediffmail.com

AGORA POR FAVOR REENVIA-ME O TEU IMEILE POIS PERDI-OS TODOS. Muitíssimo obrigadérrimo


Abç do Leãozão


Luis Coelho disse...

Boa noite Rodrigo
Desculpa a ausência. Lentamente vou regressando.

Gosto das tuas reflexões mas pouco nos adianta. Eles criaram círculos e manobram a comunicação social.

Votar eu voto pena que esteja sempre a perder...