sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Contra ventos e Marés (2)

Creio que discutir a legitimidade do governo hoje (ontem) empossado já não é mais do que discutir o sexo dos anjos. Compreendo que algumas amigas e amigos bem-intencionados, possam ter algumas dúvidas, tendo em conta a tradição. Ou seja parece que o “normal” é que o partido mais votado indique o primeiro-ministro e o governo empossado passe ou não na A. Republica. Desta vez não passou e o assunto está mais que esmiuçado.
Escrevo estas linhas num dia em que toda a gente opina, não para explicar o que quer que seja, mas somente para manifestar algumas preocupações.

Tal como centenas de milhares de Portugueses (em directo ou em diferido) ouvi as intervenções do presidente da Republica (o empossante) e a do Primeiro Ministro (o empossado). Se do primeiro ressaltou a contrariedade e a ameaça de que ainda era ele que mandava, do segundo a segurança e a demonstração de que este País tem futuro.

Andando por aqui e ali chego a esta hora da noite com uma preocupação: A direita, tudo vai fazer para criar o máximo de dificuldades a uma transição normal. As esquerdas parecem-me demasiado quietas e caladas. Não estamos em tempo de ver como é. Ou estamos com a opção tomada e trabalhamos e lutamos para que tenha êxito ou a oportunidade de uma viragem à esquerda de um sonho de décadas e agora possível, pode vir a tornar-se um pesadelo.
Amigos, camaradas e companheiros, do BE, PCP e PS. Não nos distraiamos!
P.S: Naturalmente que este apelo é também dirigido aos independentes de esquerda (onde me íntegro).

7 comentários:

Francisco Clamote disse...

Subscrevo, Rodrigo. Abraço.

Pedro Coimbra disse...

O Rodrigo sabe o que penso.
Mas, como bem aqui escreve, isso já não interessa.
Há um novo Governo vamos desejar-lhe a maior sorte, que governe bem, una os portugueses, melhores a vida das pessoas.
O que havia para discutir ou para discordar acabou ontem.
Aquele abraço, bfds

Anónimo disse...

Para pesadelos e depressões, já chega. Vamos em frente, que se faz tarde…

Abraço
Flor do Liz

Majo disse...

~~~
A esquerda portuguesa está de parabéns

pela sua determinação em acabar com a

tirania e pela sua coragem política.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Graça Sampaio disse...

Força para eles que terão de enfrentar diariamente toda a espécie de pressões e de problemas e que terão de lidar diariamente com as tropelias dos ressabiados que agora estão na oposição!

Só receio pela malevolência, pelo ódio do escavacado de Belém que ainda nos pode surpreender com mais alguma das dele.

Rogerio G. V. Pereira disse...


Eu luto sempre!
Sem me distrair um só momento
É que mudar o mundo não custa muito, leva é tempo!

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Devagarinho também cheguei aqui, amigo.
Não ouço muitas coisas. Algumas bastam para ver a raiva dos perdedores, outras para ver a coragem de uma esquerda unida num projecto para todos os portugueses. Não são ideologias PS ou de outro partido mas um conjunto que nos dá algumas esperanças esperanças.
É preciso sacudir a poeira, desinstalar a corrupção e o compadrio.
O que transtorna os anteriores governantes não são as suas perdas pessoais, pois isso está garantido, mas aquilo que os seus amigos vão perder porque serão dispensados os seus serviços e favores.