terça-feira, 21 de julho de 2015

E vão 40 anos.

Neste dia de há 40 anos atrás o nosso País estava a ferro e fogo. Ao serviço do meu partido de então, percorria com outros companheiros parte do centro do País defendendo a então jovem democracia. Os assaltos aos centros de trabalho e outras acções contra revolucionárias estavam no auge e nós íamos respondendo chamados pelos foguetes do “Tóino Ganiço”

Numa dessas noites cheguei já de madrugada a casa com intenção de dormir duas ou três horas, pois o trabalho na fábrica não esperava. A Mãe já estava com contracções e claro que o caminho era a clinica da Marinha Grande dirigida pelo (incompreensivelmente tão esquecido) Dr. Coelho dos Santos (curiosamente o médico que assistiu ao meu nascimento, chamado de urgência, pois a parteira não dava conta do recado). Desta vez o Dr. Coelho não se atreveu a fazer mais do que sugerir a ida para o Hospital de Leiria, pois devia vir a caminho um(a) jogador(a) de futebol, porque teimava em sair de pés para a frente.
Já no hospital um telefonema (via Osvaldo Castro) ao Dr. Lourinho e acabou tudo por correr bem. Nesse tempo só sabíamos o sexo após o parto e lá saiu uma fêmea. Não foi nada difícil escolher o nome e lá lhe pusemos o nome de Catarina em homenagem à heroína alentejana assassinada barbaramente pelo regime fascista.

Recordar 40 anos para quem tem a memoria a funcionar, daria para escrever muito mais do que um post. Mas recordo a capacidade de lutar por objectivos, mesmo quando tudo corre mal. Recordo que em face das fracas condições financeiras, trabalhar de dia e estudar de noite foi a solução e assim o 11º e 12º ano foram feitos em período pós laboral. Mais tarde também a licenciatura em psicologia foi feita do mesmo modo. Mesmo quando há dois anos e picos fomos atirados para uma situação muito complicada o mestrado foi feito até ao fim (faltou a tese) e durante um ano lectivo com sérias dificuldades o estágio no tribunal de Oliveira do Bairro, foi concluído.

Fico por aqui. Se por acaso leres isto, aqui ficam as minhas desculpas.
Amo-te Catarina. Sou um Pai orgulhoso.

Um Beijinho. Parabéns!

7 comentários:

Ferreira, M.S. disse...

Parabéns a ambos! Um grande abraço!

Janita disse...

Amigo Rodrigo, qual o pai que não fica orgulhoso com a capacidade de luta e persistência de uma filha, na conquista dos seus objectivos?

Duplos Parabéns à Catarina e ao Pai que tem!

Um beijinho para ambos e que o futuro da sua filhota seja risonho e pleno de realizações pessoais e profissionais.

Janita

Rogerio G. V. Pereira disse...

Um beijo à Catarina!

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Rodrigamigo

Ainda que um dia atrasado, tenho imenso prazer em dar os parabéns à tua Catarina. Quarenta anos são poucos em termos de vida, mas são muitos em termos de amor e felicidade.

Bjs da Kel e abç do alfacinha e...

MUITOS PARABÉNS CATARINA!!!!

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Tinha o comentário feito e agora não o encontro.
Parabéns ao pai e à filha.
Desejo que esses laços que vos ligam se mantenham sempre vivos e cada vez mais fortes.

Pedro Coimbra disse...

Grande abraço para o Rodrigo, um beijinho para a Catarina

Francisco Clamote disse...

Muitos parabéns, Rodrigo, extensivos à mãe e à filha.