sexta-feira, 24 de abril de 2015

De um dia para outro.

Há 41 anos exactamente neste dia e a esta hora (embora se sentisse um leve cheiro no ar) era quase impossível imaginar que estávamos na véspera de um dos acontecimentos mais marcantes do século XX. Era um jovem operário vidreiro com 19 anos. A única perspectiva de vida existente, era a de ir daí a algum tempo ir para a tropa e mais que certo ser enviado como carne para canhão para uma das “províncias ultramarinas” combater numa guerra que sabia ser injusta e sem sentido. A outra (em preparação) era dar o salto para França não por cobardia mas por convicção. Enquanto por cá andasse ia dando o meu modesto contributo no combate ao regime fascista que nos oprimia.
Mas de um dia para o outro tudo se alterou. As dúvidas iniciais foram sendo esclarecidas o povo da grande Lisboa veio para a rua em apoio dos corajosos militares e rapidamente aqui chegavam ecos de que desta vez era a sério. O regime fascista foi derrubado.

Hoje 41 anos depois sabemos que nem tudo correu bem. Mais do que historiar, sou dos que me interrogo dos porquês. Estamos longe da grande capacidade de mobilização popular vista nesses tempos. A classe política actual é olhada com desconfiança. Muitas das conquistas de então vão sendo roubadas. Portugal de Abril já não é o País em construção a que muitos de nós aderimos entusiasticamente.

Que neste Abril saibamos erguer bem alto os nossos sonhos e continuar a transmitir aos mais jovens que só com a luta e a participação cívica é possível inverter o caminho e voltar a ter o direito ao sonho.

8 comentários:

Júlio Gouveia disse...

Não podemos deixar que nos continuem a matar o sonho.
Viva o 25 de Abril!

Francisco Clamote disse...

Subscrevo. Abraço.

Anónimo disse...

Olá, Rodrigo!

Se as convicções esmoreceram com o passar destes 41 anos-agora mais em fase de retrocesso do que de avanço - que não deixemos morrer o sonho de Liberdade, Justiça, Trabalho e Dignidade!

Abraço amigo!

Janita

Rogerio G. V. Pereira disse...

"Que neste Abril saibamos erguer bem alto os nossos sonhos e continuar a transmitir aos mais jovens que só com a luta e a participação cívica é possível inverter o caminho e voltar a ter o direito ao sonho."

"Maio, maduro Maio" cantou o Zeca

heretico disse...

abraço, meu amigo!

25 de Abril, Sempre!

Pedro Coimbra disse...

Apesar das muitas pedras pelo caminho, valeu a pena, Rodrigo.
E isso é que é importante.
Aquele abraço, boa semana

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Rodrigamigo

Estou aqui por dois motivos, a saber

1 Porque conservo o 25 de Abril, data imorredoura no meu coração, melhor dizendo, em mim todo.

2 Porque tive o prazer e a alegria de te conhecer real, durante o inesquecível encontro de família em Monte Real. Muito obrigado

Abç

PS - Para actualizar o meu registo de endereços podes sff mandar-me o teu imeile? Para o hantferreira@gmail.com? Muito obrigado

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Recordar aqueles momentos iniciais do 25 de Abril, são momentos que nos enchem de revolta.
Depressa nos trocaram os sonhos.
Depressa os vampiros voltaram a organizar-se para reduzir o povo à escravidão.
Hoje correm rios de lágrimas pelos campos e cidades. A fome e a miséria escondem-se nos rostos envergonhados.