quinta-feira, 16 de outubro de 2014

"Venho dizer-vos que não tenho medo!"


Este poema de Manuel Alegre cantado por Luís Cília e pelo
Adriano transmitiu-nos uma mensagem que muitos de nós, mais ou menos jovens
adoptamos como nosso. 32 anos depois do Adriano nos deixar, faz todo o sentido
ouvi-lo e interrogarmo-nos  se o “medo”
ainda anda por aí ou se a afirmação do poema se mantém. No que me diz respeito
sim, tenho medo! Não de ter que ir combater numa guerra que sabia, injusta. Não
de enfrentar uma hipotética detenção e tudo o que se lhe podia seguir. Já não
tenho medo do Salazarismo e do Marcelismo, da PIDE ou da DGS. Tudo isso faz
parte da História, trágica mas é passado sem deixarmos de lutar para que esse
período negro se não apague das nossas memórias. As suas vítimas merecem-nos
isso.

Mas sim hoje tenho medo. Será cobardia confessar os medos
que se vão apossando de nós? Sim eu tenho medo! Tenho medo dos poderes
instalados, não do poder da direita que hoje domina, esse sabe-se como o
combater. Mas há outros poderes que dominam as forças que o deviam combater,
atrevo-mo a dizer, até a vanguarda que só o é numa espécie de faz de conta. Sim
tenho medo que as gerações que nos sucedem assistam apáticas a isto tudo e por
que não lhe conseguimos transmitir a ideia de que “temos que ser nós a fazer o
que tem que ser feito”.

 Sim tenho medo!

7 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Muito oportuno, Rodrigo. Sim, também tenho medo. Não do presente, mas do futuro...
Abraço

Flor de Jasmim disse...

Partilho do mesmo medo!

Beijinho e uma flor

Pedro Coimbra disse...

Razões para estar tranquilo parece serem efectivamente muito poucas, Rodrigo :(
Aquele abraço

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia Rodrigo
Também tenho medo e caminhamos numa escalada em que o medo sobe connosco e de quando em quando, para não dizer diariamente, nos mostra o fundo do precipício.
O Poder vai doseando os medos que nos serve a todos sem vergonha nem respeito.

Rogerio G. V. Pereira disse...

"até a vanguarda que só o é numa espécie de faz de conta."

Assim, até terá medo
da sua própria sombra

Fê blue bird disse...

Também tenho medo meu amigo.
Mas o meu maior medo é ver os nossos jovens sem futuro.

beijinho e bom fim de semana

heretico disse...

abraço, abraço.

o medo é paralisante - que todos saibamos vencer o medo...