quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Dez dias que abalaram e abanaram.

Agarrado às más noticias que nos vão chegando de todos os lados e por diversas vias acabamos por involuntariamente nos ir acomodando, olhando para o nosso umbigo e ir perdendo a esperança de que algo possamos fazer para alterar o estado das coisas e se já não formos os beneficiários, pensemos nas gerações que nos precedem.

Este texto a que darei o destino de post é escrito a uma hora a que habitualmente já não ando por aqui. Pouco adepto da televisão mesmo com a imensidade de programas que vou tendo à disposição, vou andando por aqui “vendo, ouvindo e lendo” .
Não me sentindo com capacidade para emitir opiniões acerca da situação internacional (o que não significa que não a tenha) limito-me a deixar algumas ideias que me parece, terem alterado os estado das coisas no nosso País.

Há dez dias trás todos nós barafustávamos sobre o estado das coisas em termos sociais, no emprego, na saúde nas finanças, na educação e numa enormidade de problemas que afectavam a nossa sociedade. Dez dias depois nenhum destes problemas foi atenuado e antes pelo contrário, creio que todos se agravaram.

Mas algo mudou. A pior coisa que pode acontecer numa sociedade democrática é que os seus cidadãos sintam os problemas e nada, mesmo nada os mobilize para a sua solução.
Parece-me que neste últimos dez dias aconteceram coisas que a não resolverem nada no imediato apontam pelo menos para um retomar da esperança de que a desgraçada situação em que nos encontramos, não é nenhuma fatalidade e tem solução apesar das cicatrizes que deixa e que em muitos casos, ficarão para sempre à vista.

Na verdade não deixo aqui nada em concreto. Mas é de propósito!

15 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Esperemos que seja assim, Rodrigo.
Ainda tenho sérias dúvidas.
Grande abraço

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Poisé Rodrigo...Vemos, ouvimos e lemos...Não podemos ignorar...
Os meios de comunicação - TV e afins - arrastam as massas e as opiniões.
Os verdadeiros problemas são escamoteados e depois deixam-nos em silêncio.
Se alguém pergunta mais alguma coisa a resposta é a mesma para todos os problemas:
- Há uma comissão governamental a estudar o assunto...
...E faca tudo na mesma...

luís rodrigues coelho Coelho disse...

E faca tudo na mesma...

E fica tudo na mesma.

Curioso disse...

Somos um povo que tem o que merece. Como já antes escrevemos, é mais importante se o seleccionador nacional vai ficar suspenso; se alguém é expulso da "Casa das &%#%&$" ou se o actor X ou Y morreu e do que morreu do que os assuntos que a todos afectam. Isso não importa muito até porque todos acham que a política é coisa para os políticos e é uma enorme seca!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Se os portugueses quisessem e não fossem individualistas e comodistas, as coisas já poderiam ter mudado. No entanto, tal como o Rodrigo, tenho uma ténue esperança de que as coisas mudem em breve. Para melhor, obviamente.
Abraço

heretico disse...

nada de concreto, compreendo - é uma espécie de cheque em branco...

ou uma fezada?

abraço

Anónimo disse...

penso que razoável não deixares nada de concreto,porque aqui todos preguntam,o que é que este futuro politiquero já fez na vida de concreto??????

Fê blue bird disse...

Gostava sinceramente meu saudoso amigo que tivesse razão.
Para bem de todos nós e principalmente como disse e bem das gerações que nos precedem.

beijinho e bom fim de semana

folha seca disse...

Caro Pedro Coimbra
O pior que nos pode acontecer é perder a esperança. Sugiro-lhe que oiça o seu conterrâneo (Luís Góis) naquela bela canção de Coimbra, é preciso acreditar).
Aquele abraço
Rodrigo

folha seca disse...

Caro Luís Coelho
De facto é preciso alguma acreditar (e para isso lutar) que água mole em pedra dura...pode "furar".
Grande abraço
Rodrigo

folha seca disse...

Caro Curioso
De facto, depois de 40 anos de Democracia parece que o "povo tem o que merece" Mas olhe que merece melhor...
Também Para si um grande abraço.
Rodrigo

folha seca disse...

Caro Carlos Barbosa de Oliveira
O Povo e o especialmente o seu comportamento tem a a ver com a onda que vai por aí. Cada um procura cuidar do seu quintal,não percebendo que as condições "climatéricas" podem afectar primeiro os que estão em baixo, mas quando não cabe mais vem por aí a cima.
Grande abraço.
Rodrigo

folha seca disse...

Caro herético
O "nada de concreto" foi de propósito. É que de facto nos dez dias (à data do post) aconteceram coisas que podem transformar se não o "mundo" algumas coisas por cá.
Grande abraço
Rodrigo

folha seca disse...

Caro anónimo
Não lhe respondo nada em concreto porque não percebo nada do que queria dizer. Se quiser ser mais claro, agradeço.
Rodrigo

folha seca disse...

Cara Fê
Que bom vê-la por aqui. Claro que também estou em falta. Mas garanto-lhe que é só nos comentários. Sim, se já não conseguirmos fazer nada por nós, que o façamos pelos que nos precedem e pelos vindouros. Acredito que por muito pouco, é sempre possível fazer algo.
Beijinho
Rodrigo