terça-feira, 9 de setembro de 2014

Opções (sem desculpas)

Confesso que sou muitas vezes tentado a desistir de falar de política, não assistir a debates e a não me meter nestas “coisas”. Desculpas, tinha várias. O facto de ser um miserável falido e poder culpar tudo e todos, a desilusão provocada pelos políticos no activo no poder e na oposição e até o veredicto do meu cardiologista que me aconselha a não me meter em situações que provoquem emoções fortes.

Na verdade a política faz parte da minha vida desde que me conheço. Para quem ainda em criança é “acusado” de ser neto de um ex-presidiário e demora tempo a perceber que talvez a pessoa de que mais gostou na vida, tinha sido preso politico, porque defendeu causas justas que o levaram a passar 14 anos no carceres fascistas. Para quem com 10 anos de idade, come o pão que o diabo amassou, indo trabalhar para o forno de uma fábrica de vidros, para ajudar a melhor o miserável orçamento familiar, não pode alhear-se daquilo que se passa à sua volta, olhar para a degradação da situação económica e social do seu País.

Na verdade fui um dos simpatizantes do PS (mais assim, do que assado) que na altura própria manifestei o meu desacordo com o “oferecimento” de A. J. Seguro para a liderança do PS. Também fui manifestando o desencanto que (nunca tive )pela sua gestão do principal partido da oposição.
Também fui um dos cidadãos anónimos que dirigi umas palavras (numa noite muito dolorosa) a António Costa dando o meu modesto empurrão, usando mais ou menos a expressão de que “o PS precisa de alguém na sua liderança, que não se limite a ser um bom rapazinho”.

Tudo para dizer que se já não tinhas dúvidas de que A. Costa (dos perfilados) é o meu preferido a quem vou dar o meu voto (se me reconhecerem esse direito) para que assim seja.

10 comentários:

Janita disse...

Olá, Rodrigo!

Fico muito contente sempre que o vejo aparecer manifestando a sua opinião sobre qualquer acto político, que lhe mereça a sua intervenção.
Se a sua opção foi feita de acordo com o que acredita ser o melhor para o maior Partido da oposição, força! Siga em frente,
"sem desculpas"! Assim, é que deve ser!
Embora outros pensem o contrário.
Liberdade de escolha e escolher com consciência e democraticamente, é aceitar a divergência de critérios.

Um beijinho e tudo de bom.

Janita

folha seca disse...

Janita
Dos poucos posts que tenho publicado, tenho sempre a sua agradável visita e respectivo comentário. Peço desculpa por não corresponder, mas sabe? Há fase lixadas.
Beijinho
Rodrigo

Mas não pense que à socapa não a visito.

A. Constâncio disse...

Mesmo deslocados para um campo de batalha sem general, mesmo descrentes de um Portugal renovado, mesmo revoltados com as rasteiras que a vida nos pregou, ainda nos resta um sopro de esperança. Como tu, também apoio António Costa, porque não acredito em políticos de plástico, que aparecem como prémio da "Farinha Amparo"

Francisco Clamote disse...

Caro Rodrigo, partilho a mesma opção. Abraço.

Curioso disse...

Poderemos estar enganados mas a ideia que fica depois de ouvirmos o debate é a de que o Seguro deverá a estar a ser treinado pelo Paulo Bento e que com ele o futuro será em tudo semelhante ao que acontece com a selecção.

Pedro Coimbra disse...

Também vou hoje abordar o tema, Rodrigo.
O que AJS ontem disse dá vontade de rir.
Ou será de chorar?
Grande abraço!

Gisa disse...

Somos seres políticos, não podemos nos furtar de algumas abordagens.
Um grande bj querido amigo.

Majo disse...

~
~ ~ Gostei muito de ler a sua simpática opinião.

~ ~ AJS já deu provas mais que suficientes da sua incapacidade para o cargo que desempenha e é incapaz de auto avaliar-se e perceber isso.

~ ~ Apareça mais vezes!

~ ~ Há que intervir e este convívio só lhe faz bem.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Olá Rodrigo
Entrei no Lidacoelho e dei-me contigo por lá. Obrigado. Nunca esqueço os meus amigos e sempre que visitas a casa fico ainda mais radiante.
Espero que estejas bem e que a Adélia te dê força para resistires. O nosso passado não nos envergonha. Enobrece-nos. Certamente aqueles que te rotularam nunca tiveram dificuldades e não sabem do sofrimento quando os nossos olhos famintos encontram a mesa vazia.
Já conhecia de viva voz o teu relato.
Recordo aquela tarde que passamos a comer castanhas e tu falaste com tanta vivacidade.
A vida ensina-nos e as lições tem sido bem duras de aprender.
A politica estraga os bons homens.
Depois de eleitos são todos iguais. Defendem os capitalistas e protegem-se a eles e aos amigos.
Estou certo que António Costa será vencedor,mas passado pouco tempo já estará do lado dos grandes e poderosos. Sócrates era assim e vê o que fez...

Graça Sampaio disse...

Também estou com o António Costa! Nunca o AJS me inspirou qualquer confiança. Nem queira saber o nome que sempre lhe chamei aqui por casa....