domingo, 24 de agosto de 2014

Alice - Gato Morto

Por muito que custe, vai havendo por aqui e ali quem tente fazer coisas bem feitas, na musica (mas felizmente não só). Não sendo um melómano e grande conhecedor, sou sensível ao que de bom se vai fazendo, especialmente (e no que respeita à musica) ao conteúdo do que se diz de forma cantada. Talvez os Alice me passassem ao lado, não fora o facto de ter como amigo (daqueles que o são na verdadeira acepção da palavra) o pai de um dos membros da banda (o Diogo Borges). Na verdade só comemoro os meus aniversários de cinco em cinco anos, e há quatro no ultimo que comemorei (o 55º) tive o prazer de ouvir o Diogo tocar viola com uma qualidade que augurava um futuro promissor. (recordo que alguns dos acordes, eram musica do Zeca). O pai que veio almoçar comigo um dia destes, ofereceu-me o primeiro CD do grupo, que nas calmas fui "degustando" acompanhado com as letras que numa brochura acompanhavam o respectivo. Força! "A cantar também se diz".

4 comentários:

Majo disse...

~
~ ~ Estão muito bem.

~ ~ Muita sorte para os meninos.

~ ~ Um bom Domingo.

Janita disse...

Muito bom, Rodrigo!

Um timbre de vozes lindamente sintonizadas. Adorei!
Não sei qual deles é o Diogo Borges nem isso é relevante, não conhecia estes "Alice" e tenho a certeza que ainda vão dar muito que falar.
Tem razão, Rodrigo...a cantar também se diz, por exemplo, que é 'difícil, muito difícil, ser normal', já que o conceito de normalidade é muito subjectivo!!

Obrigada, pela partilha e divulgação de boa música.

Um beijinho.

Janita

Pedro Coimbra disse...

Duas violas, três bonitas vozes.
Tudo em sintonia.
Muito simples mas muito bonito.
Aquele abraço, votos de boa semana!

heretico disse...

abraço. gostei de ouvir...