quarta-feira, 16 de julho de 2014

Bem-vindo ao grupo camarada Ricardo Salgado.

Bem-vindo ao grupo camarada Ricardo Salgado.

Meu caro camarada Ricardo Salgado. Há uns dias que andas nas bocas do mundo e só te chamam santo dado o teu santificado apelido. Pois é, parece que se “perderam” nos vários e tortuosos caminhos que tens percorrido, uns valentes camiões de dinheiro e por mais que tentes não consegues explicar onde param.

Embora esteja a usar um tratamento demasiado íntimo, só o faço porque apesar de nunca termos sido próximos, creio que te estão a acontecer coisas porque já passei e estou a pagar bem caro as consequências. Chegou a altura de alguém te manifestar alguma solidariedade, pois a maior parte do pagode não percebe o que é a angústia de ter contas para pagar e não ter graveto, como ainda ontem te aconteceu com aquela divida da Rioforte à PT, apesar de serem só uns trocos, comparado com o tamanho do buraco.

Pois é camarada Ricardo, este meu escrito que ainda pensei transformar em abaixo-assinado de apoio e levar as dezenas de milhares de falidos destes últimos 3 anos a assinar e tal como eu agora faço,  manifestar-te a já referida solidariedade. Claro que estas coisas são sempre complexas. Sei de certeza que não faltariam camaradas a acusar-te de que as suas falências se deveram também aos juros agiotas praticados pelo teu (e o dos outros) Banco. Também não faltaria quem te acusasse de grande parte da massa desaparecida estar bem guardada para que a essa secular família de Banqueiros e agiotas não falte nada,  a esta e às vindouras gerações.

Pronto camarada espero que te safes porque num qualquer País civilizado onde a justiça fosse igual para ricos e pobres, já estarias atrás das grades.

7 comentários:

Francisco Clamote disse...

Bela peça, Rodrigo.

Observador disse...

Atrás das grades? O homem nem come grelhados para não serem passados na ... grelha :-)

Um abraço.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Se demorar muito, a gente espera

Pedro Coimbra disse...

Hoje também publico algo sobre este desempregado/falido, Rodrigo.
Um texto genial de Carlos Paz.
Aquele abraço

Anónimo disse...

Todos os ladroes falam da mesma maneira. Há mais.

heretico disse...

excelente texto.

alguma coisa deve mudar - para que tudo fique na mesma...

abraço

Fê blue bird disse...

Onde assino meu amigo ? Excelente !

Mas hoje venho aqui me despedir, vou de férias que bem preciso :)
Desejo-lhe coragem e que tudo corra pelo melhor para si e para os seus.

beijinho