sexta-feira, 25 de abril de 2014

Olá Carreira! Hoje mando-te um cravo.

Há dois anos atrás escrevi no meu blogue uma carta ao Joaquim Carreira. Hoje procurando alinhavar algumas palavras, não encontrava nada de novo e à falta de melhor repito esta publicação, homenageando-o neste dia, após 3 anos da sua partida.

Sabes meu caro ? De vez em quando dão-me assim uns sintomas esquisitos e ponho-me a escrever para quem nem sequer o endereço conheço. Parvoíces, mas…Pronto como já cá não estás deu-me para isto, podia ser pior.

Faz exactamente hoje um ano que decidiste ir embora, eu bem te pedi para aguentares, mas “teimoso” como sempre, tinhas que escolher esta data histórica para que tanto contribuíste uma vida inteira, partires. Acho que já disse em qualquer lado que nos estragaste a festa. Não, não estragaste nada, talvez contribuísses para que ela fizesse mais sentido. Sim porque comemorar Abril faz-se com festa mas também com a noção de que Abril aconteceu porque muitos como tu abnegadamente e sem esperar nada em troca deram o corpo às balas, à tortura, ao degredo e à clandestinidade, abdicando duma vida própria para que hoje estejamos a comemorar a liberdade.


Mas olha por cá as coisas não estão nada famosas. As forças revanchistas apossaram-se do poder, não porque a direita ultraliberal “ganhasse”, mas porque a esquerda incapaz de criar entre si uma plataforma mínima de entendimento lhes cederam o poder de mão beijada.

Sabes? Isto está mesmo entregue aos “bichos” sim ao capital financeiro internacional e o que por aqui, quem aparece aparentemente como detentor do poder, não são mais do que mandaretes dos ditos. Pronto mas isto é muitos mais complicado e também não te estou para chatear interrompendo o teu merecido descanso.

Mas tenho uma má notícia, o Miguel Portas, sim aquele jornalista  que vinha, aí há duas décadas, conversar connosco a propósito da nossa luta para repor a Democracia interna no nosso Partido, também decidiu partir, ontem. Não sei bem se vai ter contigo, mas se for, tens umas boas horas de conversa, há isso tens!

Um grande abraço querido companheiro. Descansa em Paz que a gente por cá vai aguentando a “penada”.

4 comentários:

Osvaldo Castro disse...

Caro Rodrigo,

Junto o meu cravo e o meu abraço em homenagem ao nosso inesquecível Amigo Joaquim Carreira,subscrevendo as tuas palavras.
OC

Fê-blue bird disse...

Meu amigo:

Estes seus "sintomas esquisitos" fazem deste blogue uma referência para mim, pois nele encontro um homem com uma grande sensibilidade.
Este seu texto é disso exemplo.
De certeza que estão os dois em melhor sítio.

beijinhos

Graça Sampaio disse...

Será que o amigo J. Carreira gostará de saber destas coisas que estão a acontecer? "Sorte" a dele que não as está a sofrer. Ou talvez não!

Abraço solidário.

mfc disse...

Está completamente entregue aos bichos...